Tag Archive: crud



Olá a todos. Estive um pouco sumido nos últimos dias. Criar esses tutoriais detalhados demanda um trabalho considerável sendo preciso ter coragem (e tempo) para fazer hehe. O Sérgio, leitor do Blog, me pediu algumas dicas em como estruturar uma aplicação feita no Flex em janelas. Pois bem, decidi então fazer um tutorial sobre isso. Para o tutorial, iremos utilizar como base o tutorial anterior e quem ainda não o leu, pode iniciar pela Parte 1.

Vamos começar então. Primeiro, vamos fazer uma cópia do nosso projeto do frontend. Para isso, no Flash Builder, procure pelo projeto “IntegracaoFlexJavaGUI”, clique com o botão direito do mouse na raiz do projeto e clique em “Copy”. Veja a Figura abaixo.

 

Figura 1

Copiando o projeto

 

Com o projeto copiado, agora basta colar. Para isso, clique em algum lugar fora do projeto original e escolha “Paste”. Veja a Figura abaixo.

 

Figura 2

Colando o projeto

 

Quando você clicar na opção “Paste”, a janela “Copy Project” vai aparecer. No campo “Project Name” vamos preencher com o nome “IntegracaoFlexJavaGUIComJanelas”. Desmarque a opção “Use default location” e no campo “Location” localize a pasta onde estamos salvando nossos projetos. No meu caso, estou salvando tudo na pasta “C:\Users\David\Documents\Java\Flex”. Tome o cuidado de indicar que você quer que uma pasta para o projeto seja criada, colocando no final do caminho o nome do projeto. No meu caso, o valor completo do campo “Location” ficou “C:\Users\David\Documents\Java\Flex\IntegracaoFlexJavaGUIComJanelas” (sem as aspas). Com isso pronto, clique no OK. Veja a Figura abaixo.

 

Figura 3

Criando o novo projeto com base no anterior

 

Legal, o Flash Builder vai criar então o novo projeto. Perceba que não vamos precisar configurar o caminho do backend, pois ele já estava configurado no projeto anterior, e como fizemos uma cópia, todas aquelas propriedades que alteramos quando criamos o projeto original foram copiadas.

Agora vamos reorganizar nosso novo projeto. Cuidado para não fazer as modificações no projeto antigo dentro do Flash Builder. Clique então com o botão direito na pasta “src”, escolha New > Package. Dê o nome de “gui” (sem as aspas) para o pacote e clique em Finish. Com isso, criamos um novo pacote para o nosso projeto, onde vamos colocar nossos arquivos mxml que vão representar nossa interface gráfica e seus componentes.

Perceba que nossos mxmls ficaram todos no “default package”. Primeiramente selecione o arquivo IntegracaoFlexJavaGUI.mxml e remova-o do projeto (selecione o arquivo, tecle <DELETE>). Sobraram dois arquivos, o CRUD.mxml e o DateRenderer.mxml. Selecione os dois arquivos e os arraste para o pacote “gui” que acabamos de criar. A janela “Move” vai aparecer. Deixe apenas a opção “Update references” marcada e clique em OK. Com isso os arquivos serão movidos para o novo pacote.

Feito isso, clique agora com o botão direito no pacote “gui” e escolha New > MXML Application. Preencha o campo “Name” com “Principal” (sem aspas) e deixe o campo “Layout” como “None”. Clique em Finish. O Flash Builder não vai criar o nosso arquivo no pacote “gui”, mesmo tendo selecionado esse pacote quando clicamos com o botão direito :(. O Principal.mxml vai ser criado no default package. Da mesma forma que acabamos de fazer com os arquivos CRUD.mxml e DateRenderer.mxml, selecione o arquivo Principal.mxml e o mova para o pacote “gui”.

Perceba que o ícone do CRUD.mxml tem uma bolinha azul. Isso quer dizer que esse arquivo é o ponto de entrada da nossa aplicação, ou seja, é a partir dele que a aplicação inicia. Vamos mudar isso. Queremos que o Principal.mxml seja o ponto de entrada. Para isso, clique com o botão direito no Principal.mxml e escolha a opção “Set as Default Application”. Você vai ver que a bolinha vai passar para o Principal.mxml. Iremos manter o CRUD.mxml, pois é nele que está implementada a nossa aplicação original e vamos reaproveitar aquele código quando estivermos montando nossas janelas.

Antes de qualquer outra coisa, lembra que o resultado da compilação do Flash Builder era armazenado na pasta “swf” do nosso projeto do NetBeans? Pois bem, vá no NetBeans, procure a pasta “swf” e apague todo o seu conteúdo. Lá dentro você vai ver que tem arquivos do nosso frontend antigo que não nos interessam mais. Faltou falar uma coisa. Iremos reaproveitar o projeto do NetBeans, então não iremos criar um projeto novo. Caso você queira fazer isso, o processo é parecido com o do Flash Builder. Só não fiz isso, pois senão o caminho do projeto do backend iria mudar e então teríamos que configurar mais coisas no nosso projeto no Flash Builder, mudando o caminho do backend. Sendo assim, sugiro que mantenha o projeto antigo do NetBeans.

Ainda no projeto do NetBeans, abra o index.jsp e agora no <meta … > mude a url que define o redirecionamento para o CRUD.html, colocando no lugar o Principal.html (que é o arquivo HTML que vai ser gerado para conter nosso projeto). O <meta … > do index.jsp vai ficar assim:

Alteração da tag <meta … >

<meta http-equiv="Refresh" content="0; url=swf/Principal.html">

Rode o projeto do NetBeans. Uma página em branco deve aparecer, afinal, ainda não colocamos nada no nosso Principal.mxml. Não precisaremos mais mexer no NetBeans, só iremos utilizá-lo agora para executar nosso projeto quando formos fazendo alterações na interface gráfica. Lembre-se, nossa infraestrutura de persistência e de serviços já está pronta!

Vamos então à montagem da nossa interface gráfica. Para isso, no Flash Builder, abra o Principal.mxml e vá na aba Design. Na aba dos componentes (canto inferior esquerdo) procure pelo grupo “Navigators”. Dento desse grupo existe o componente “MenuBar”. Clique e arraste um MenuBar para o Principal.mxml. A aparência da barra de menu, por enquanto, é igual a de um botão, mas sem nenhum texto.Veja a Figura abaixo.

 

Figura 4

Arrastando um componente MenuBar

 

Queremos então que esse menu ocupe toda a parte acima da nossa aplicação. Para isso, arraste o componente até o canto superior esquerdo do Principal.mxml. Veja a Figura abaixo.

 

Figura 5

Posicionando o componente MenuBar

 

Feito isso, selecione o componente (clique nele) caso ainda não esteja selecionado. No canto inferior direito do Flash Buillder, na aba “Properties” podemos alterar as propriedades do componente. Iremos utilizar a visualização padrão das propriedades (Standard View), que nos fornece um editor amigável para as propriedades mais comuns do componente selecionado no momento. Veja a Figura abaixo. O botão para acessar as propriedades padrão está destacado.

 

Figura 6

Propriedades padrão do componente selecionado

 

No painel de propriedades, com o MeuBar selecionado, procure pela seção “Size and Position”. X e Y devem estar com 0, pois colocamos nosso componente no canto superior (Y=0) esquerdo (X=0) lembram? Agora vamos usar duas constrains para esticar a barra de menu, fazendo ela ocupar toda a interface horizontalmente. Veja a Figura abaixo.

 

Figura 7

Usando as constrains left e right para esticar o componente MenuBar

 

Veja que quando você modificar essas propriedades, a barra de menu vai passar a ocupar toda a interface na horizontal. Note também que com isso, a propriedade X ficou sem um valor. Isso porque quando especificamos o left (checkbox à esquerda) como 0 e o right (checkbox à direita) como 0 também (campos abaixo) não precisamos mais dizer onde o componente está na posição X, pois ele vai preencher horizontalmente seu container, no casso, o Principal.mxml (que é do tipo s:Application).

Vamos agora inserir os itens no nossa barra de menu. Infelizmente não temos uma opção visual para isso, então temos que fazer isso diretamente no código. Para isso, vá na opção “Source” do Principal.mxml e localize o seu MenuBar (<mx:MenuBar>).

Altere o código para isso aqui:

Código do componente MenuBar

<mx:MenuBar y="0" left="0" right="0" labelField="@label">
	<fx:XMLList>
		<menuitem label="Cadastros">
			<menuitem id="itemCadClientes" label="Clientes"/>
			<menuitem type="separator"/>
			<menuitem id="itemCadCidades" label="Cidades"/>
			<menuitem id="itemCadEstados" label="Estados"/>
		</menuitem>
	</fx:XMLList>
</mx:MenuBar>

Parece complicado, mas não é. Vamos primeiro detalhar o conteúdo da tag <mx:Menu>. Perceba que dentro do nosso menu, declaramos uma estrutura de dados chamada XMLList. Basicamente essa estrutura utiliza código XML para estruturar dados. Note que dentro das tags <fx:XMLList> e </fx:XMLList> temos o código XML que será utilizado para estruturar o nosso menu. Temos então um item para o cadastro, representado pela tag <menuitem> mais externa. Note que essa tag tem uma propriedade chamada “label”. Essa propriedade será utilizada pelo renderizador da barra de menus para desenhar o nome de cada botão. Note na tag <mx:MenuBar> o uso da propriedade “labelField”, onde usamos o valor “@label”. Isso significa que queremos usar o atributo “label” das tags definidas no XML como o label (rótulo) dos nossos itens do menu. O sinal de arroba (@) indica que “label” é um atributo. Dentro então da tag <menuitem> mais externa, temos então 4 outros itens, um para cada cadastro e um para o separador do menu (type=”separator”). Note que podemos ir aninhando tags do tipo <menuitem> para irmos construindo nosso menu.

Para ver as mudanças, dê o build no projeto (botão direito na raiz do projeto > Build Project) e execute a aplicação pelo NetBeans. Legal, o menu funciona. Agora falta o principal, ou seja, adicionar interação nos itens do menu, pois queremos que algo aconteça quando um dos itens do cadastro sejam clicados. Para isso iremos registrar um ouvinte na barra de menu, e na implementação do método ouvinte, verificamos qual foi o item clicado com base no id do item. Segue então o código completo do Principal.mxml.

gui.Principal.mxml

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:Application xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" minWidth="955" minHeight="600">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.MenuEvent;

			private function menuItemClickHandler( event: MenuEvent ): void {

				// faz o switch baseado no id do item selecionado
				switch ( event.item.@id.toString() ) {

					case "itemCadClientes":
						Alert.show( "Botão Clientes clicado!", "Mensagem" );
						break;

					case "itemCadCidades":
						Alert.show( "Botão Cidades clicado!", "Mensagem" );
						break;

					case "itemCadEstados":
						Alert.show( "Botão Estados clicado!", "Mensagem" );
						break;

				}

			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>
		<!-- Place non-visual  elements (e.g., services, value objects) here -->
	</fx:Declarations>

	<mx:MenuBar y="0" left="0" right="0" labelField="@label" itemClick="menuItemClickHandler(event)">
		<fx:XMLList>
			<menuitem label="Cadastros">
				<menuitem id="itemCadClientes" label="Clientes"/>
				<menuitem type="separator"/>
				<menuitem id="itemCadCidades" label="Cidades"/>
				<menuitem id="itemCadEstados" label="Estados"/>
			</menuitem>
		</fx:XMLList>
	</mx:MenuBar>

</s:Application>

Teste o projeto. Verifique que agora, baseado no item clicado no menu, um Alert diferente é mostrado. Vamos agora implementar nossa primeira janela. Quando tivermos ela pronta, iremos chamá-la pelo botão correspondente. Iniciaremos pela janela de cadastro de Estados.

Para isso, vamos criar um componente mxml, mas antes um pouco de teoria. Quando criamos arquivos MXML, na verdade estamos estendendo classes do ActionScript. Quando criamos uma aplicação MXML (MXML Application), você pode notar que o arquivo fonte é escrito em XML e que a tag raiz (root) é do tipo <s:Application>. Durante a compilação, o que o Flex faz é converter esse arquivo MXML em uma classe e então o compila. Sendo assim, cada arquivo MXML vira uma classe e no final e estamos estendendo uma classe. Imagine então o nosso arquivo Principal.mxml. Na verdade, ele vira uma classe mais ou menos assim:

package gui {

	import spark.components.Application;

	public class Principal extends Application {

		// implementação...

	}

}

Para cada uma das nossas janelas, nós vamos estender a classe “TitleWindow” do pacote spark.components, mas nós vamos seguir a estratégia de criar arquivos MXML da mesma forma que estamos fazendo para as aplicações. Então vamos lá. Começaremos pela tela de cadastro de Estados. Clique com o botão direito no pacote “gui” e escolha New >MXML Component. Na tela New MXML Component, preencha o campo “Name” com “CadastroEstados” (sem as aspas), deixe o campo “Layout” como “None” e por fim, preencha o “Based on” com “spark.components.TitleWindow” (semas as aspas). Por fim, clique em Finish e arquivo do novo componente será aberto. Deixa e largura e a altura da forma que estão. Veja a Figura abaixo.

 

Figura 8

Criando um novo componente para o cadastro de Estados

 

Com o arquivo CadastroEstados.mxml aberto, vá na aba Design e vamos fazer as primeiras modificações na nossa tela de cadastro. Primeiro dê um título para a janela (pelas propriedades ou clicando duas vezes na barra de título). Sugiro “Cadastro de Estados” (sem as aspas). Com isso feito, aumente um pouco a tela para termos espaço para trabalhar. Basta redimensionar, como faria com uma imagem. No final, teremos algo assim:

 

Figura 9

Preparando a janela de cadastro

 

Agora vamos ao componentes da tela de cadastro. O bom é que já temos tudo pronto :). Abra o arquivo CRUD.mxml, vá em Design, selecione todos os componentes do painel de cadastro de estados, clique bom o botão direito e escolha “Copy”. Veja a Figura.

 

Figura 10

Copiando componentes

 

Agora volte no CadastroEstados.mxml, e em Design, clique com o botão direito na tela e escolha “Paste”. Os componentes serão colados. Organize eles e redimensione a janela. O resultado você pode ver na Figura abaixo, e o código parcial do CadastroEstados.mxml pode ser visto logo em seguinda.

 

Figura 11

Design da tela de cadastro de Estados pronto

 

gui.CadastroEstados.mxml

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:TitleWindow xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" width="296" height="278" title="Cadastro de Estados">

	<fx:Declarations>
		<!-- Place non-visual elements (e.g., services, value objects) here -->
	</fx:Declarations>

	<mx:DataGrid y="10" id="tabelaEstados" left="10" right="10" height="107" itemClick="tabelaEstadosClickHandler(event)">
		<mx:columns>
			<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="150" resizable="true"/>
			<mx:DataGridColumn headerText="Sigla" dataField="sigla" width="80" resizable="true"/>
		</mx:columns>
	</mx:DataGrid>
	<mx:Form y="121" right="10" left="10" height="86">
		<mx:FormItem label="Nome:">
			<s:TextInput width="187" id="fieldNomeEstado"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Sigla:">
			<s:TextInput width="40" id="fieldSiglaEstado"/>
		</mx:FormItem>
	</mx:Form>
	<s:Button y="215" label="Novo" click="btnNovoEstadoClickHandler(event)" right="162"/>
	<s:Button y="215" label="Salvar" click="btnSalvarEstadoClickHandler(event)" right="84"/>
	<s:Button y="215" label="Excluir" click="btnExcluirEstadoClickHandler(event)" right="6"/>
</s:TitleWindow>

Além da parte gráfica, precisamos agora copiar o código dos manipuladores de eventos, dos serviços, etc. Como você já tem alguma experiência com o funcionamento, pois provavelmente já acompanhou o tutorial anterior, estou postando o código completo do CasdatroEstados.mxml com todo o código da interação implementado.

gui.CadastroEstados.mxml

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:TitleWindow xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" width="296" height="278" title="Cadastro de Estados"
			   creationComplete="creationCompleteHandler(event)">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import entidades.Estado;

			import mx.collections.ArrayCollection;
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.FlexEvent;
			import mx.events.ItemClickEvent;
			import mx.events.ListEvent;
			import mx.rpc.events.FaultEvent;
			import mx.rpc.events.ResultEvent;

			private var estadoSelec: Estado;

			private function faultHandler( event: FaultEvent ): void {
				Alert.show( event.fault.toString(), "ERRO" );
			}

			private function estadoSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();
			}

			private function estadoUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();
			}

			private function estadoDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();
			}

			private function estadoListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaEstados.dataProvider = event.result;
			}

			private function btnNovoEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				resetFormEstados();
			}

			private function btnSalvarEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( estadoSelec ) {

					estadoSelec.nome = fieldNomeEstado.text;
					estadoSelec.sigla = fieldSiglaEstado.text;

					servEstado.update(estadoSelec);

				} else {

					var o: Estado = new Estado();

					o.nome = fieldNomeEstado.text;
					o.sigla = fieldSiglaEstado.text;

					servEstado.save(o);

				}
			}

			private function btnExcluirEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( estadoSelec ) {
					servEstado.getOperation( "delete" ).send( estadoSelec );
				}

			}

			private function tabelaEstadosClickHandler( event: ListEvent ): void {

				estadoSelec = tabelaEstados.selectedItem as Estado;

				fieldNomeEstado.text = estadoSelec.nome;
				fieldSiglaEstado.text = estadoSelec.sigla;

			}

			private function resetFormEstados(): void {

				fieldNomeEstado.text = "";
				fieldSiglaEstado.text = "";

				estadoSelec = null;

			}

			private function creationCompleteHandler( event: FlexEvent ): void {
				servEstado.listAll();
			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>

		<s:RemoteObject
			id="servEstado"
			destination="estadoServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

	</fx:Declarations>

	<mx:DataGrid y="10" id="tabelaEstados" left="10" right="10" height="107" itemClick="tabelaEstadosClickHandler(event)">
		<mx:columns>
			<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="150" resizable="true"/>
			<mx:DataGridColumn headerText="Sigla" dataField="sigla" width="80" resizable="true"/>
		</mx:columns>
	</mx:DataGrid>
	<mx:Form y="121" right="10" left="10" height="86">
		<mx:FormItem label="Nome:">
			<s:TextInput width="187" id="fieldNomeEstado"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Sigla:">
			<s:TextInput width="40" id="fieldSiglaEstado"/>
		</mx:FormItem>
	</mx:Form>
	<s:Button y="215" label="Novo" click="btnNovoEstadoClickHandler(event)" right="162"/>
	<s:Button y="215" label="Salvar" click="btnSalvarEstadoClickHandler(event)" right="84"/>
	<s:Button y="215" label="Excluir" click="btnExcluirEstadoClickHandler(event)" right="6"/>
</s:TitleWindow>

Legal,  já temos nossa tela de cadastro pronta (quase na verdade). Vamos então aprender como fazer para abrir essa janela de cadastro a partir do menu do Principal.mxml. Usaremos para isso a classe PopUpManager do pacote mx.managers. Essa classe possui dois métodos estáticos, o addPopUp e o removePopUp. Esses métodos são usados respectivamente para adicionar uma janela em um container e para remover uma janela de um conteiner. Vamos então modificar o switch do Principal.mxml onde tratamos os eventos dos itens dos botões. Segue então o código do Principal.mxml atualizado e comentado.

gui.Principal.mxml

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:Application xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" minWidth="955" minHeight="600">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.MenuEvent;
			import mx.managers.PopUpManager;

			private function menuItemClickHandler( event: MenuEvent ): void {

				// faz o switch baseado no id do item selecionado
				switch ( event.item.@id.toString() ) {

					case "itemCadClientes":
						Alert.show( "Botão Clientes clicado!", "Mensagem" );
						break;

					case "itemCadCidades":
						Alert.show( "Botão Cidades clicado!", "Mensagem" );
						break;

					case "itemCadEstados":

						// instanciamos um objeto do tipo CadastroEstados
						var cadastroEstados: CadastroEstados = new CadastroEstados();

						/*
						Usa-se a classe PopUpManager para abrir a janela.
						O primeiro parâmetro é o componente a ser aberto, o segundo é
						onde ele estará contido e o terceiro é um boolean que diz se
						a janela deve ser modal ou não.
						*/
						PopUpManager.addPopUp( cadastroEstados, this, true );

						// centralizamos a janela
						cadastroEstados.x = ( this.width / 2 ) - ( cadastroEstados.width / 2 );
						cadastroEstados.y = ( this.height / 2 ) - ( cadastroEstados.height / 2 );

						break;

				}

			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>
		<!-- Place non-visual  elements (e.g., services, value objects) here -->
	</fx:Declarations>

	<mx:MenuBar y="0" left="0" right="0" labelField="@label" itemClick="menuItemClickHandler(event)">
		<fx:XMLList>
			<menuitem label="Cadastros">
				<menuitem id="itemCadClientes" label="Clientes"/>
				<menuitem type="separator"/>
				<menuitem id="itemCadCidades" label="Cidades"/>
				<menuitem id="itemCadEstados" label="Estados"/>
			</menuitem>
		</fx:XMLList>
	</mx:MenuBar>

</s:Application>

Teste sua aplicação. Você vai perceber que agora, quando clicar no item Estados do menu Cadastros, a janela de cadastro de Estados vai abrir. Note que ela é modal (um overlay vai esmaecer a tela principal) e que você pode arrastá-la como uma janela. O único detalhe que ainda falta é permitir que ela seja fechada. Se você clicar no botão fechar da janela, não acontecerá nada. Para implementar isso, vamos definir um método para manipular o evento “close” da janela de cadastro de Estados. Esse evento é disparado quando clicamos no botão fechar. O código do método é super simples. Ele vai chamar o método removePopUp da classe PopUpManager, passando como referência o próprio componente. Segue então o código final da janela de cadastro de Estados.

gui.CadastroEstados.mxml (final)

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:TitleWindow xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" width="296" height="278" title="Cadastro de Estados"
			   creationComplete="creationCompleteHandler(event)"
			   close="closeHandler(event)">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import entidades.Estado;

			import mx.collections.ArrayCollection;
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.CloseEvent;
			import mx.events.FlexEvent;
			import mx.events.ItemClickEvent;
			import mx.events.ListEvent;
			import mx.managers.PopUpManager;
			import mx.rpc.events.FaultEvent;
			import mx.rpc.events.ResultEvent;

			private var estadoSelec: Estado;

			private function faultHandler( event: FaultEvent ): void {
				Alert.show( event.fault.toString(), "ERRO" );
			}

			private function estadoSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();
			}

			private function estadoUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();
			}

			private function estadoDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();
			}

			private function estadoListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaEstados.dataProvider = event.result;
			}

			private function btnNovoEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				resetFormEstados();
			}

			private function btnSalvarEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( estadoSelec ) {

					estadoSelec.nome = fieldNomeEstado.text;
					estadoSelec.sigla = fieldSiglaEstado.text;

					servEstado.update(estadoSelec);

				} else {

					var o: Estado = new Estado();

					o.nome = fieldNomeEstado.text;
					o.sigla = fieldSiglaEstado.text;

					servEstado.save(o);

				}
			}

			private function btnExcluirEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( estadoSelec ) {
					servEstado.getOperation( "delete" ).send( estadoSelec );
				}

			}

			private function tabelaEstadosClickHandler( event: ListEvent ): void {

				estadoSelec = tabelaEstados.selectedItem as Estado;

				fieldNomeEstado.text = estadoSelec.nome;
				fieldSiglaEstado.text = estadoSelec.sigla;

			}

			private function resetFormEstados(): void {

				fieldNomeEstado.text = "";
				fieldSiglaEstado.text = "";

				estadoSelec = null;

			}

			private function creationCompleteHandler( event: FlexEvent ): void {
				servEstado.listAll();
			}

			private function closeHandler( event: CloseEvent ): void {
				PopUpManager.removePopUp(this);
			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>

		<s:RemoteObject
			id="servEstado"
			destination="estadoServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

	</fx:Declarations>

	<mx:DataGrid y="10" id="tabelaEstados" left="10" right="10" height="107" itemClick="tabelaEstadosClickHandler(event)">
		<mx:columns>
			<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="150" resizable="true"/>
			<mx:DataGridColumn headerText="Sigla" dataField="sigla" width="80" resizable="true"/>
		</mx:columns>
	</mx:DataGrid>
	<mx:Form y="121" right="10" left="10" height="86">
		<mx:FormItem label="Nome:">
			<s:TextInput width="187" id="fieldNomeEstado"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Sigla:">
			<s:TextInput width="40" id="fieldSiglaEstado"/>
		</mx:FormItem>
	</mx:Form>
	<s:Button y="215" label="Novo" click="btnNovoEstadoClickHandler(event)" right="162"/>
	<s:Button y="215" label="Salvar" click="btnSalvarEstadoClickHandler(event)" right="84"/>
	<s:Button y="215" label="Excluir" click="btnExcluirEstadoClickHandler(event)" right="6"/>
</s:TitleWindow>

Teste e perceba que agora a janela é fechada, e o foco retorna para a tela principal da aplicação. Muito bem. Agora como exercício, faça o mesmo processo para as outras duas telas. Copie os componentes, organize-os, copie o código dos manipuladores de eventos, dos serviços, remova algum código que esteja sobrando e altere o Principal.mxml para abrir as janelas restantes. Note que para as janelas de cadastro de Cidades e de Clientes você precisará de outros serviços além do da entidade tratada na janela. Por exemplo, no cadastro de Cidades, você precisará do serviço de estados também (o combo de estados, lembra?). Não se esqueça do evento close das janelas. Para finalizar, seguem os códigos finais das janelas de cadastro de Cidades e de Clientes o código final do Principal.mxml. Agora você pode apagar o CRUD.mxml, pois já separamos todo o seu código nas nossas telas.

gui.CadastroCidades.mxml (final)

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:TitleWindow xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" width="304" height="272" title="Cadastro de Cidades"
			   creationComplete="creationCompleteHandler(event)"
			   close="closeHandler(event)">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import entidades.Cidade;
			import entidades.Estado;

			import mx.collections.ArrayCollection;
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.CloseEvent;
			import mx.events.FlexEvent;
			import mx.events.ItemClickEvent;
			import mx.events.ListEvent;
			import mx.managers.PopUpManager;
			import mx.rpc.events.FaultEvent;
			import mx.rpc.events.ResultEvent;

			private var cidadeSelec: Cidade;

			private function faultHandler( event: FaultEvent ): void {
				Alert.show( event.fault.toString(), "ERRO" );
			}

			private function cidadeSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				resetFormCidades();
			}

			private function cidadeUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				resetFormCidades();
			}

			private function cidadeDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				resetFormCidades();
			}

			private function cidadeListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaCidades.dataProvider = event.result;
			}

			private function estadoListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				comboEstadoCidade.dataProvider = event.result as ArrayCollection;
			}

			private function btnNovoCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				resetFormCidades();
			}

			private function btnSalvarCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( cidadeSelec ) {

					cidadeSelec.nome = fieldNomeCidade.text;
					cidadeSelec.estado = comboEstadoCidade.selectedItem as Estado;

					servCidade.update(cidadeSelec);

				} else {

					var o: Cidade = new Cidade();

					o.nome = fieldNomeCidade.text;
					o.estado = comboEstadoCidade.selectedItem as Estado;

					servCidade.save(o);

				}

			}

			private function btnExcluirCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				if ( cidadeSelec ) {
					servCidade.getOperation( "delete" ).send( cidadeSelec );
				}
			}

			private function tabelaCidadesClickHandler( event: ListEvent ): void {

				cidadeSelec = tabelaCidades.selectedItem as Cidade;

				fieldNomeCidade.text = cidadeSelec.nome;
				comboEstadoCidade.selectedItem = cidadeSelec.estado;

			}

			private function resetFormCidades(): void {

				fieldNomeCidade.text = "";
				comboEstadoCidade.selectedIndex = -1;

				cidadeSelec = null;

			}

			private function creationCompleteHandler( event: FlexEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				servEstado.listAll();
			}

			private function closeHandler( event: CloseEvent ): void {
				PopUpManager.removePopUp(this);
			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>

		<s:RemoteObject
			id="servCidade"
			destination="cidadeServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

		<s:RemoteObject
			id="servEstado"
			destination="estadoServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

	</fx:Declarations>

	<mx:DataGrid y="10" id="tabelaCidades" height="106" itemClick="tabelaCidadesClickHandler(event)" left="10" right="10">
		<mx:columns>
			<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="180"/>
			<mx:DataGridColumn headerText="Estado" dataField="estado.nome" width="150"/>
		</mx:columns>
	</mx:DataGrid>
	<mx:Form y="120" left="10" right="10" height="83">
		<mx:FormItem label="Nome:">
			<s:TextInput id="fieldNomeCidade" width="189"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Estado:">
			<s:ComboBox id="comboEstadoCidade"/>
		</mx:FormItem>
	</mx:Form>
	<s:Button y="211" label="Novo" click="btnNovoCidadeClickHandler(event)" right="166"/>
	<s:Button y="211" label="Salvar" click="btnSalvarCidadeClickHandler(event)" right="88"/>
	<s:Button y="211" label="Excluir" click="btnExcluirCidadeClickHandler(event)" right="10"/>
</s:TitleWindow>

gui.CadastroClientes.mxml (final)

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:TitleWindow xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" width="484" height="562" title="Cadastro de Clientes"
			   creationComplete="creationCompleteHandler(event)"
			   close="closeHandler(event)">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import entidades.Cidade;
			import entidades.Cliente;

			import mx.collections.ArrayCollection;
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.CloseEvent;
			import mx.events.FlexEvent;
			import mx.events.ItemClickEvent;
			import mx.events.ListEvent;
			import mx.managers.PopUpManager;
			import mx.rpc.events.FaultEvent;
			import mx.rpc.events.ResultEvent;

			private var clienteSelec: Cliente;

			private function faultHandler( event: FaultEvent ): void {
				Alert.show( event.fault.toString(), "ERRO" );
			}

			private function cidadeListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				comboCidadeCliente.dataProvider = event.result as ArrayCollection;
			}

			private function clienteSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCliente.listAll();
				resetFormClientes();
			}

			private function clienteUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCliente.listAll();
				resetFormClientes();
			}

			private function clienteDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCliente.listAll();
				resetFormClientes();
			}

			private function clienteListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaClientes.dataProvider = event.result;
			}

			private function btnNovoClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				resetFormClientes();
			}

			private function btnSalvarClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( clienteSelec ) {

					clienteSelec.nome = fieldNomeCliente.text;
					clienteSelec.sobrenome = fieldSobrenomeCliente.text;
					clienteSelec.cpf = fieldCPFCliente.text;
					clienteSelec.dataNascimento = fieldDataNascCliente.selectedDate;
					clienteSelec.rua = fieldRuaCliente.text;
					clienteSelec.numero = fieldNumeroCliente.text;
					clienteSelec.cep = fieldCEPCliente.text;
					clienteSelec.cidade = comboCidadeCliente.selectedItem as Cidade;

					servCliente.update(clienteSelec);

				} else {

					var o: Cliente = new Cliente();

					o.nome = fieldNomeCliente.text;
					o.sobrenome = fieldSobrenomeCliente.text;
					o.cpf = fieldCPFCliente.text;
					o.dataNascimento = fieldDataNascCliente.selectedDate;
					o.rua = fieldRuaCliente.text;
					o.numero = fieldNumeroCliente.text;
					o.cep = fieldCEPCliente.text;
					o.cidade = comboCidadeCliente.selectedItem as Cidade;

					servCliente.save(o);

				}

			}

			private function btnExcluirClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				if ( clienteSelec ) {
					servCliente.getOperation( "delete" ).send( clienteSelec );
				}
			}

			private function tabelaClientesClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				clienteSelec = tabelaClientes.selectedItem as Cliente;

				fieldIdCliente.text = String( clienteSelec.id );
				fieldNomeCliente.text = clienteSelec.nome;
				fieldSobrenomeCliente.text = clienteSelec.sobrenome;
				fieldCPFCliente.text = clienteSelec.cpf;
				fieldDataNascCliente.selectedDate = clienteSelec.dataNascimento;
				fieldRuaCliente.text = clienteSelec.rua;
				fieldNumeroCliente.text = clienteSelec.numero;
				fieldCEPCliente.text = clienteSelec.cep;
				comboCidadeCliente.selectedItem = clienteSelec.cidade;

			}

			private function resetFormClientes(): void {

				fieldIdCliente.text = "";
				fieldNomeCliente.text = "";
				fieldSobrenomeCliente.text = "";
				fieldCPFCliente.text = "";
				fieldDataNascCliente.selectedDate = null;
				fieldRuaCliente.text = "";
				fieldNumeroCliente.text = "";
				fieldCEPCliente.text = "";
				comboCidadeCliente.selectedIndex = -1;

				clienteSelec = null;

			}

			private function creationCompleteHandler( event: FlexEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				servCliente.listAll();
			}

			private function closeHandler( event: CloseEvent ): void {
				PopUpManager.removePopUp(this);
			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>

		<s:RemoteObject
			id="servCidade"
			destination="cidadeServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

		<s:RemoteObject
			id="servCliente"
			destination="clienteServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

	</fx:Declarations>

	<mx:DataGrid y="6" left="10" right="10" height="196" id="tabelaClientes" click="tabelaClientesClickHandler(event)">
		<mx:columns>
			<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome"/>
			<mx:DataGridColumn headerText="Sobrenome" dataField="sobrenome"/>
			<mx:DataGridColumn headerText="CPF" dataField="cpf" width="100"/>
			<mx:DataGridColumn dataField="dataNascimento" headerText="Dt. Nasc" width="80" itemRenderer="gui.DateRenderer"/>
			<mx:DataGridColumn dataField="cidade.nome" headerText="Cidade"/>
		</mx:columns>
	</mx:DataGrid>
	<mx:Form y="210" left="10" right="10" height="281">
		<mx:FormItem label="ID:">
			<s:TextInput width="40" enabled="false" id="fieldIdCliente"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Nome:">
			<s:TextInput id="fieldNomeCliente"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Sobrenome:">
			<s:TextInput id="fieldSobrenomeCliente"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="CPF:">
			<s:TextInput width="95" id="fieldCPFCliente"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Data de Nascimento:">
			<mx:DateField id="fieldDataNascCliente" formatString="DD/MM/YYYY"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Rua:">
			<s:TextInput id="fieldRuaCliente" width="249"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Número:">
			<s:TextInput width="59" id="fieldNumeroCliente"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="CEP:">
			<s:TextInput width="94" id="fieldCEPCliente"/>
		</mx:FormItem>
		<mx:FormItem label="Cidade:">
			<s:ComboBox width="200" id="comboCidadeCliente"/>
		</mx:FormItem>
	</mx:Form>
	<s:Button y="498" label="Novo" click="btnNovoClienteClickHandler(event)" right="166"/>
	<s:Button y="498" label="Salvar" click="btnSalvarClienteClickHandler(event)" right="88"/>
	<s:Button y="498" label="Excluir" right="10" click="btnExcluirClienteClickHandler(event)"/>
</s:TitleWindow>

gui.Principal.mxml (final)

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:Application xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" minWidth="955" minHeight="600">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.MenuEvent;
			import mx.managers.PopUpManager;

			private function menuItemClickHandler( event: MenuEvent ): void {

				// faz o switch baseado no id do item selecionado
				switch ( event.item.@id.toString() ) {

					case "itemCadClientes":
						var cadastroClientes: CadastroClientes = new CadastroClientes();
						PopUpManager.addPopUp( cadastroClientes, this, true );
						cadastroClientes.x = ( this.width / 2 ) - ( cadastroClientes.width / 2 );
						cadastroClientes.y = ( this.height / 2 ) - ( cadastroClientes.height / 2 );
						break;

					case "itemCadCidades":
						var cadastroCidades: CadastroCidades = new CadastroCidades();
						PopUpManager.addPopUp( cadastroCidades, this, true );
						cadastroCidades.x = ( this.width / 2 ) - ( cadastroCidades.width / 2 );
						cadastroCidades.y = ( this.height / 2 ) - ( cadastroCidades.height / 2 );
						break;

					case "itemCadEstados":

						// instanciamos um objeto do tipo CadastroEstados
						var cadastroEstados: CadastroEstados = new CadastroEstados();

						/*
						Usa-se a classe PopUpManager para abrir a janela.
						O primeiro parâmetro é o componente a ser aberto, o segundo é
						onde ele estará contido e o terceiro é um boolean que diz se
						a janela deve ser modal ou não.
						*/
						PopUpManager.addPopUp( cadastroEstados, this, true );

						// centralizamos a janela
						cadastroEstados.x = ( this.width / 2 ) - ( cadastroEstados.width / 2 );
						cadastroEstados.y = ( this.height / 2 ) - ( cadastroEstados.height / 2 );

						break;

				}

			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>
		<!-- Place non-visual  elements (e.g., services, value objects) here -->
	</fx:Declarations>

	<mx:MenuBar y="0" left="0" right="0" labelField="@label" itemClick="menuItemClickHandler(event)">
		<fx:XMLList>
			<menuitem label="Cadastros">
				<menuitem id="itemCadClientes" label="Clientes"/>
				<menuitem type="separator"/>
				<menuitem id="itemCadCidades" label="Cidades"/>
				<menuitem id="itemCadEstados" label="Estados"/>
			</menuitem>
		</fx:XMLList>
	</mx:MenuBar>

</s:Application>

Com isso terminamos nosso tutorial onde aprendemos a separar nossa aplicação em janelas, fazendo com que ela fique mais modularizada. Como exercício você ainda pode melhorar ainda mais cada cadastro, adicionando validadores aos formulários, criando um método para centralizar as janelas na janela principal, etc. Espero que tenham gostado!

Até a próxima 😉


Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4.1Parte 4.2

Finalmente, chegamos na última parte do nosso tutorial. Desde a primeira parte fomos construindo incrementalmente a arquitetura do nosso projeto e fomos testando como comunicar a camada do cliente (feita no Flash Builder e compilada pelo Flex) com a camada do servidor, onde usamos Java e o BlazeDS. Até o momento, nosso projeto no NetBeans tem a seguinte estrutura:

 

Figura 1

Estrutura do projeto no NetBeans

 

Com essa estrutura, temos então toda a camada de persistência e a camada de serviços pronta para ser utilizada. Percebam que os serviços dos exemplos anteriores ainda continuam no projeto. Eles não serão retirados, pois vamos deixar todos os exemplos dentro de um único projeto. Vamos agora trabalhar na nossa interface gráfica e em como integrá-la ao nosso backend.

Quando enviamos valores (primitivos e/ou objetos) através do canal do AMF, implementado pelo BlazeDS, algumas conversões são feitas. O BlazeDS acaba funcionando como um tradutor e um interpretador. Ele serializa os objetos em Java para o formato do AMF e envia para o cliente, que por sua vez entende o AMF e deserializa os dados no formato de objetos ActionScript. O contrário também é verdade. O cliente serializa objetos de ActionScript para AMF e envia para a camada em Java, onde o BlazeDS deserializa os dados em AMF convertendo-os em objetos Java. Para os tipos padrão do Java (int, double, String, etc.) e do ActionScript (int, uint, Number, String, etc.) existe um padrão de conversão. A seguir, nas próximas duas tabelas estão listadas a maioria dessas conversões.

Deserialização de objetos ActionScript para objetos Java

ActionScript Java
Array (denso) java.util.List
Array (esparso) java.util.Map
Boolean, ou as Strings “true” ou “false” java.lang.Boolean
Date java.util.Date
int/uint java.lang.Integer
Number java.lang.Double
String java.lang.String
undefined null

Deserialização de objetos Java para objetos ActionScript

Java ActionScript
java.util.Collection e subclasses, Object[] (array nativo) Array (denso)
java.util.Map Array (esparso)
Boolean, boolean Boolean
java.util.Date,
java.util.Calendar,
java.sql.Timestamp,
java.sql.Time,
java.sql.Date
Date
java.lang.Double,
java.lang.Long,
java.lang.Float,
java.lang.Integer,
java.lang.Short,
java.lang.Byte,
java.math.BigDecimal,
java.math.BigInteger,
String,
tipos primitivos: double, long, float, int, short, byte.
int/uint (truncagem automática)
java.lang.Double,
java.lang.Long,
java.lang.Float,
java.lang.Integer,
java.lang.Short,
java.lang.Byte,
java.math.BigDecimal,
java.math.BigInteger,
String, 0 (zero) se for enviado null,
tipos primitivos: double, long, float, int, short, byte
Number
java.lang.String, char[], enum String
null undefined

A primeira tabela é relativamente simples, pois um tipo ActionScript vira um tipo em Java. A única observação a ser feita é entre a diferenciação de Arrays densos e esparsos. No ActionScript, a classe Array funciona tanto como um array simples como um mapa (dicionário ou array associativo, escolha o nome que gostar mais). Quando um array denso é serializado, ele vira uma lista. Um array denso é aquele onde os valores atribuidos a ele seguem um índice determinado (0, 1, 2, …, n). No array esparso a distribuição é baseada em uma “chave” que é utilizada como índice. Sendo assim, o posicionamento dos dados dentro da estrutura de dados é indeterminada. Note a semelhança com um mapa do Java.

Em relação à segunda tabela, perceba que um ou mais tipos do Java são convertidos em um ou mais tipos em ActionScript. O funcionamento é o seguinte. Imagine que você tem uma variável do tipo Number do lado do ActionScript e então é enviada uma String em Java, que vai representar um número. Quando chegar a String e ela for ser atribuida a um Number, a conversão vai ser automática. Outro exemplo. Imagine que foi enviado um double em Java e que a variável no ActionScript é do tipo uint. Novamente, a conversão vai ser automática, truncando a parte fracionária do double. Note que a conversão é sempre automática quando usamos o AMF.

Essas tabelas são um resumo das tabelas encontradas nos dois links a seguir, que fazem parte da documentação do BlazeDS.

Legal, o problema para tipos padrão está resolvido, mas ai você pergunta:

“Certo, e o que eu faço se eu mandar um Estado, uma Cidade, um Cliente ou mesmo qualquer outro  tipo de objeto criado por mim? Como será feita a conversão?”

Vamos às repostas: Por padrão o objeto será convertido em Object no ActionScript, mas isso nos atrapalha, pois fica difícil trabalhar com algo que você (desenvolvedor) não sabe o que é. Como o ActionScript é uma linguagem dinâmica, ele vai resolver as propriedades do objeto para nós automaticamente, mas como já disse, seria legal a gente saber com o que estamos trabalhando, facilitando a nossa vida, tornando o código mais claro. Para isso, precisamos então implementar as classes que enviamos do lado Java para suas correspondentes em ActionScript. Os tipos padrão continuam a mesma coisa (siga as tabelas acima). Vamos então ao primeiro exemplo.

No Flash Builder, no projeto da nossa interface, clique com o botão direito na pasta “src” e escolha New > Package. Dê o nome de “entidades” ao pacote e clique em OK. Lembre-se, para cada classe Java que tivermos (as entidades), teremos uma classe em ActionScript. Sendo assim, teremos três classes em ActionScript: Estado, Cidade e Cliente. Vamos criar então uma classe dentro do pacote criado. Começaremos pela classe Estado. Vamos lá então: botão direito no pacote “entidades”, New > ActionScript Class. Preencha o campo “Name” com “Estado” (sem aspas) e clique no OK. A classe será criada e será aberta no editor. Note que por padrão o Flash Builder vai usar as chaves de abertura de bloco abaixo da declaração dos métodos, etc. Eu não gosto desse padrão, prefiro seguir o padrão do Java, mas você fica livre para escolher o que achar melhor.

Note que a estrutura é parecida com a estrutura de uma classe em Java, menos pelo detalhe do pacote, que  também é um bloco em classes ActionScript. Vamos começar a preencher nossa classe. Vamos começar pelos atributos. Note que todos os atributos privados iniciam com um “_”. Isso não é obrigatório, mas já eu explico o motivo.

Classe em Java Classe em ActionScript
package entidades;

public class Estado {

    private Long id;
    private String nome;
    private String sigla;

    // getters e setters

}
package entidades {

	public class Estado {

		private var _id: Number;
		private var _nome: String;
		private var _sigla: String;

		// getters e setters

	}

}

Perceba então que o Long do Java virou Number no ActionScript e o tipo String no Java virou String no ActionScript. Fácil não é? É só seguir as tabelas do começo do post. Agora quanto ao “_”. No ActionScript, como em outras linguagens, existe um recurso que se chama propriedades. Você cria métodos especiais que são chamados para atualizar os membros privados da classe como se você estivesse acessando esse membro como um membro público. No Java esse recurso não existe, então seguimos o padrão JavaBeans (get e set para expor os atributos de uma classe, etc.). Então para cada par get e set do Java, teremos um par de propriedades na classe ActionScript. Veja então como ficaria o método setId( Long id ) e getId() da classe Java na classe ActionScript.

Gets e Sets (Padrão JavaBeans) Propriedades em ActionScript
public Long getId() {
    return id;
}

public void setId( Long id ) {
    this.id = id;
}
public function get id(): Number {
	return _id;
}

public function set id( valor: Number ): void {
	_id = valor;
}

Então, enrolei mas ainda não falei do “_”. Note que se caso a nossa variável privada “_id” não tivesse o “_”, o nome dela entraria em conflito com o nome da pripriedade “id” que foi criada para acessar a variável privada. Sendo assim, normalmente, em linguagens que suportam propriedades, usa-se o “_” como prefixo para as variáveis privadas. Entendido isso e as propriedades, vamos então ao código completo da nossa classe Estado em ActionScript:

entidades.Estado.as

package entidades {

	[Bindable]
	[RemoteClass(alias="entidades.Estado")]
	public class Estado {

		private var _id: Number;
		private var _nome: String;
		private var _sigla: String;

		public function get id(): Number {
			return _id;
		}

		public function set id( valor: Number ): void {
			_id = valor;
		}

		public function get nome(): String {
			return _nome;
		}

		public function set nome( valor: String ): void {
			_nome = valor;
		}

		public function get sigla(): String {
			return _sigla;
		}

		public function set sigla( valor: String ): void {
			_sigla = valor;
		}

		public function toString(): String {
			return _nome;
		}

	}

}

Note ainda que antes da declaração da classe Estado, temos ainda duas Metadata Tags (parecidas com as Annotations em Java). Segue a explicação de cada uma:

  • [Bindable]: Essa tag informa que os objetos do tipo Estado podem ser amarrados aos componentes gráficos e caso o estado do objeto seja alterado, ou seja, alguma de suas propriedades tenha o valor alterado, essas mudanças serão refletidas automaticamente no componente gráfico que o estiver usando.
  • [RemoteClass(alias=”entidades.Estado”)]: Essa tag é muito importante para nós. Ela diz que essa classe é uma classe remota, ou seja, que os objetos dela podem ser enviados via AMF. Note que a propriedade “alias” tem como valor o nome completo da classe em Java. Caso nossas entidades Java estivesse no pacote “model” por exemplo, o “alias” teria que ser “model.Estado”. Como estamos usando uma estrutura de pacotes igual nos dois projetos, o “alias” é igual ao do projeto em Flex, mas não se confunda. O “alias” é sempre igual ao nome completo da classe em Java.

Perceba também que implementamos o método toString() da classe Estado. O toString() no Flex tem o mesmo propósito que no Java, ou seja, fornecer uma representação em String do estado de um determinado objeto. No nosso caso, estamos apenas retornando o nome do Estado (e faremos isso para as outra duas classes). A vantagem disso é que os objetos serão mostrados nos componentes que os usarem (combos por exemplo) utilizando o retorno do toString().

Pronto, você já sabe todos os detalhes. Seria legal agora, como exercício, você criar as duas classes que estão faltando, ou seja, as classes Cidade e Cliente. Assim que criar, compare com as que estou listando abaixo. Como fiz nas entidades em Java, não vou colocar os gets e os sets para poupar espaço.

entidades.Cidade.as

package entidades {

	[Bindable]
	[RemoteClass(alias="entidades.Cidade")]
	public class Cidade {

		private var _id: Number;
		private var _nome: String;
		private var _estado: Estado;

		// getters e setters

		public function toString(): String {
			return _nome;
		}

	}

}

entidades.Cliente.as

package entidades {

	[Bindable]
	[RemoteClass(alias="entidades.Cliente")]
	public class Cliente {

		private var _id: Number;
		private var _nome: String;
		private var _sobrenome: String;
		private var _cpf: String;
		private var _dataNascimento: Date;
		private var _rua: String;
		private var _numero: String;
		private var _cep: String;
		private var _cidade: Cidade;

		// getters e setters

		public function toString(): String {
			return _nome;
		}

	}

}

Ótimo, temos todas as nossas classes mapeadas, agora vamos partir para a interface gráfica. Vamos criar outro arquivo mxml para criarmos nossa interface. Para isso, no “(default package)”, clique com o botão direito e escolhe New > MXML Application. Dê o nome de “CRUD” (sem aspas) e escolha “None” no layout. Clique em Finish. O novo arquivo será criado e aberto no editor.

Caso você execute diretamente o projeto dentro do Flash Builder, para ver como está ficando no navegador, você vai perceber que a interface anterior ainda vai ser exibida. Para mudar isso, precisamos fazer com que o CRUD.mxml seja a aplicação padrão. Para isso, clique com o botão direito no arquivo CRUD.mxml e escolha a opção “Set as Default Application”. Você vai perceber que vai aparecer uma bolinha azul no ícone do arquivo (que antes estava no IntergracaoFlexJavaGUI.mxml).

Ainda falta configurar o index.jsp lá no NetBeans para que seja redirecionado para o CRUD.html ao invés do IntegracaoFlexJavaGUI.html. Como exercício, faça a alteração então na tag <meta> lá do seu index.jsp e rode o projeto. Uma tela em branco deve ser carregada.

O próximo passo agora é criar os <s:RemoteObject> que vão fazer a ponte para a camada em Java e montar a interface gráfica. Depois iremos implementar os eventos para dar vida à interface. Segue então o CRUD.mxml com a interface pronta, os servicos mapeados, todos os manipuladores de eventos criados e registrados (aplicação, botões e tabelas) e o id de todos os componentes criados, além do prinscreen da interface.

CRUD.mxml

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:Application xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" minWidth="955" minHeight="600"
			   creationComplete="creationCompleteHandler(event)">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import entidades.Cidade;
			import entidades.Cliente;
			import entidades.Estado;

			import mx.collections.ArrayCollection;
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.FlexEvent;
			import mx.events.ItemClickEvent;
			import mx.events.ListEvent;
			import mx.rpc.events.FaultEvent;
			import mx.rpc.events.ResultEvent;

			// armazenam a referência para as instâncias selecionadas no momento.
			private var estadoSelec: Estado;
			private var cidadeSelec: Cidade;
			private var clienteSelec: Cliente;

			private function faultHandler( event: FaultEvent ): void {
				Alert.show( event.fault.toString(), "ERRO" );
			}

			// handlers para estado
			private function estadoSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function estadoUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function estadoDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function estadoListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaEstados.dataProvider = event.result;
				comboEstadoCidade.dataProvider = event.result as ArrayCollection;
			}

			private function btnNovoEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function btnSalvarEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function btnExcluirEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function tabelaEstadosClickHandler( event: ListEvent ): void {

			}

			// handlers para cidade
			private function cidadeSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function cidadeUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function cidadeDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function cidadeListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaCidades.dataProvider = event.result;
				comboCidadeCliente.dataProvider = event.result as ArrayCollection;
			}

			private function btnNovoCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function btnSalvarCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function btnExcluirCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function tabelaCidadesClickHandler( event: ListEvent ): void {

			}

			// handlers para cliente
			private function clienteSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function clienteUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function clienteDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {

			}

			private function clienteListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaClientes.dataProvider = event.result;
			}

			private function btnNovoClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function btnSalvarClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function btnExcluirClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			private function tabelaClientesClickHandler( event: MouseEvent ): void {

			}

			// handlers da aplicação
			private function creationCompleteHandler( event: FlexEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				servCidade.listAll();
				servCliente.listAll();
			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>

		<s:RemoteObject
			id="servEstado"
			destination="estadoServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

		<s:RemoteObject
			id="servCidade"
			destination="cidadeServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

		<s:RemoteObject
			id="servCliente"
			destination="clienteServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

	</fx:Declarations>

	<s:Panel x="10" y="10" width="567" height="565" title="Cadastro de Clientes">
		<mx:DataGrid y="6" left="10" right="10" height="196" id="tabelaClientes" click="tabelaClientesClickHandler(event)">
			<mx:columns>
				<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="Sobrenome" dataField="sobrenome"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="CPF" dataField="cpf" width="100"/>
				<mx:DataGridColumn dataField="dataNascimento" headerText="Dt. Nasc" width="80"/>
				<mx:DataGridColumn dataField="cidade.nome" headerText="Cidade"/>
			</mx:columns>
		</mx:DataGrid>
		<mx:Form y="210" left="10" right="10" height="281">
			<mx:FormItem label="ID:">
				<s:TextInput width="40" enabled="false" id="fieldIdCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Nome:">
				<s:TextInput id="fieldNomeCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Sobrenome:">
				<s:TextInput id="fieldSobrenomeCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="CPF:">
				<s:TextInput width="95" id="fieldCPFCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Data de Nascimento:">
				<mx:DateField id="fieldDataNascCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Rua:">
				<s:TextInput id="fieldRuaCliente" width="249"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Número:">
				<s:TextInput width="59" id="fieldNumeroCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="CEP:">
				<s:TextInput width="94" id="fieldCEPCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Cidade:">
				<s:ComboBox width="200" id="comboCidadeCliente"/>
			</mx:FormItem>
		</mx:Form>
		<s:Button x="329" y="499" label="Novo" click="btnNovoClienteClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="407" y="499" label="Salvar" click="btnSalvarClienteClickHandler(event)"/>
		<s:Button y="499" label="Excluir" right="10" click="btnExcluirClienteClickHandler(event)"/>
	</s:Panel>
	<s:Panel x="585" y="10" width="360" height="277" title="Cadastro de Cidades">
		<mx:DataGrid x="10" y="10" id="tabelaCidades" width="338" height="106" itemClick="tabelaCidadesClickHandler(event)">
			<mx:columns>
				<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="180"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="Estado" dataField="estado.nome" width="150"/>
			</mx:columns>
		</mx:DataGrid>
		<mx:Form y="120" left="10" right="10" height="83">
			<mx:FormItem label="Nome:">
				<s:TextInput id="fieldNomeCidade" width="189"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Estado:">
				<s:ComboBox id="comboEstadoCidade"/>
			</mx:FormItem>
		</mx:Form>
		<s:Button x="126" y="211" label="Novo" click="btnNovoCidadeClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="204" y="211" label="Salvar" click="btnSalvarCidadeClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="278" y="211" label="Excluir" click="btnExcluirCidadeClickHandler(event)"/>
	</s:Panel>
	<s:Panel x="585" y="295" width="360" height="280" title="Cadastro de Estados">
		<mx:DataGrid y="10" id="tabelaEstados" left="10" right="10" height="107" itemClick="tabelaEstadosClickHandler(event)">
			<mx:columns>
				<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="150" resizable="true"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="Sigla" dataField="sigla" width="80" resizable="true"/>
			</mx:columns>
		</mx:DataGrid>
		<mx:Form y="121" right="11" left="9" height="86">
			<mx:FormItem label="Nome:">
				<s:TextInput width="187" id="fieldNomeEstado"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Sigla:">
				<s:TextInput width="40" id="fieldSiglaEstado"/>
			</mx:FormItem>
		</mx:Form>
		<s:Button x="121" y="215" label="Novo" click="btnNovoEstadoClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="199" y="215" label="Salvar" click="btnSalvarEstadoClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="277" y="215" label="Excluir" click="btnExcluirEstadoClickHandler(event)"/>
	</s:Panel>
</s:Application>

 

Figura 2

Estrutura da interface

 

Pronto, temos toda a estrutura da aplicação, agora só falta implementar os métodos que tratam os eventos. Primeiramente vou explicar o que já foi feito. Percebeam que no ínicio do CRUD.mxml, na tag <s:Application>, foi registrado um ouvinte para o evento creationComplete. Este evento é disparado quando toda a estrutura da aplicação está criada e pronta para funcionar. No corpo do método que trata o evento (linha 132) você pode perceber que são executados os métodos listAll dos três <s:RemoteObject>. Isso faz com que todas as instâncias de todas as entidades sejam carregadas. Lembre-se que o resultado da execução do serviço é tratado nos métodos registrados para o evento result.

Na linha 43, o método estadoListAllResultHandler obtém o resultado da execução (a lista de estados retornada pelo serviço) e a associa diretamente ao dataProvider da tabelaEstados. Isso faz com que a tabela mostre os Estados obtidos. Além de ligar os dados à tabela, o resultado também é associado ao combo de estados (dentro do formulário de cidades), sendo que para fazer isso existe a necessidade de fazer o cast do resultado para um ArrayCollection (o que não precisa ser feito para a tabela). Note que os outros métodos result (para Cidade e Cliente) executam tarefas parecidas.

Para que uma tabela (<d:DataGrid>) exiba corretamente os dados da lista de objetos que é atribuida ao seu dataProvider, você precisa configurar a propriedade dataField de cada coluna. Por exemplo, na tabela de clientes, a primeira coluna tem o dataField configurado como “name”, pois a lista de objetos que será usada como dataProvider, contém Clientes, que tem nome como propriedade. Ou seja, o dataField tem que ter o mesmo nome da propriedade dos objetos que são passados ao dataProvider. Veja o dataField da coluna na linha 239. O valor é “cidade.nome”, pois uma instância de Cliente tem uma propriedade que chama “cidade”, sendo que essa propriedade é uma instância de Cidade, que por sua vez, tem um “nome”.

Acredito que a maioria dos detalhes seja fácil de ser entendida se você der uma estudada no código. Agora vamos passar para a implementação de todos os métodos para o cadastro de Estados. Irei explicar um por um, com comentários dentro do código de cada método que vai ser apresentado. Lembre-se que caso você esteja acompanhando o tutorial e estiver implementando passo a passo, os métodos já estão declarados, bastando inserir o código dentro de cada um.

Métodos para o cadastro de Estados

// handlers para estado
private function estadoSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {

	// se entrou no método, quer dizer que o estado foi salvo, sendo assim,
	// atualiza a tabela chamando o listAll e reinicia o formulário.
	servEstado.listAll();
	resetFormEstados();

}

private function estadoUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {

	// se entrou no método, quer dizer que o estado foi alterado, sendo assim,
	// atualiza a tabela chamando o listAll e reinicia o formulário.
	servEstado.listAll();
	resetFormEstados();

}

private function estadoDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {

	// se entrou no método, quer dizer que o estado foi excluído, sendo assim,
	// atualiza a tabela chamando o listAll e reinicia o formulário.
	servEstado.listAll();
	resetFormEstados();

}

private function estadoListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {

	// configura o dataProvider da tabela com os dados que vem no result.
	// nesse caso, é uma lista de Estados.
	tabelaEstados.dataProvider = event.result;

	// o dataProvider de um combo espera por algo que implemente a interface IList
	// o result do serviço retorna uma lista, então podemos fazer o cast para ArrayCollection
	comboEstadoCidade.dataProvider = event.result as ArrayCollection;

}

private function btnNovoEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

	// reseta o formulário
	resetFormEstados();

}

private function btnSalvarEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

	// estadoSelec é diferente de null ou de undefined?
	if ( estadoSelec ) {

		// então existe um estado selecionado

		// altera os valores
		estadoSelec.nome = fieldNomeEstado.text;
		estadoSelec.sigla = fieldSiglaEstado.text;

		// manda atualizar
		servEstado.update(estadoSelec);

	} else {

		// não tem estado selecionado, cria um novo
		var o: Estado = new Estado();

		// insere os valores
		o.nome = fieldNomeEstado.text;
		o.sigla = fieldSiglaEstado.text;

		// manda salvar
		servEstado.save(o);

	}
}

private function btnExcluirEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

	// estadoSelec é diferente de null ou de undefined?
	if ( estadoSelec ) {

		// sim, então exclui o estado.
		// seria legal uma confirmação aqui não acha? fica de exercício para você hehehe

		// obs: note que não chamamos servEstado.delete diretamente, pois delete
		// é uma pavra-chave no ActionScript. Sendo assim, usamos a seguinte
		// instrução para invoca o método sem ter problemas:
		servEstado.getOperation( "delete" ).send( estadoSelec );

	}

}

private function tabelaEstadosClickHandler( event: ListEvent ): void {

	// estadoSelec recebe o item selecionado na lista
	estadoSelec = tabelaEstados.selectedItem as Estado;

	// preenche os campos
	fieldNomeEstado.text = estadoSelec.nome;
	fieldSiglaEstado.text = estadoSelec.sigla;

}

// função para limpar o campo e resetar a referência para o estado selecionado
// esse método é novo, não foi apresentado no código anterior.
private function resetFormEstados(): void {

	// limpa os campos
	fieldNomeEstado.text = "";
	fieldSiglaEstado.text = "";

	// não tem mais estados selecionados
	estadoSelec = null;

}

Teste o exemplo. Veja que agora todo o cadastro do Estados funciona, e caso um Estado seja alterado ou um novo Estado seja inserido, tanto a tabela de Estados quanto o combo de Estados do cadastro de cidades são atualizados. Note que enviamos os objetos inteiros como parâmetros nos métodos save, update e delete do serviço de estados. Percebeu como é fácil? A serialização/deserialização é transparatente para nós.

Agora, antes de finalizarmos, ainda precisamos resolver um último detalhe: Arrumar o formato da data de nascimento na tabela do cliente. Para isso, vamos criar um renderizador para a coluna da data. O primeiro passo é escolher a tabela de clientes. Clique na tabela, e na aba de propriedades, clique no botão “Configure Columns…”.

 

Figura 3

Acessando as propriedades das colunas

 

Ao clicar, a janela “Configura Columns” vai aparecer. Do lado esquerdo estão listadas as colunas da tabela. Selecione a “Dt. Nasc” e nas propriedades da coluna, clique no botão rosa (destacado em laranja na Figura abaixo) e escolha “Create Item Renderer…”.

 

Figura 4

Criando um renderizador para a coluna

 

Uma janela para criar o novo renderizador vai aparecer. Deixe o “Package” vazio e preencha o “Name” com “DateRenderer” (sem aspas). Clique em “Finish” para criar o renderizador e veja que agora o nome do renderizador aparece nas propriedades da coluna. Dê OK na janela de configuração das colunas. Perceba que um arquivo chamado DateRenderer.mxml foi criado. Vamos editá-lo. Basicamente iremos usar um <mx:DateFormatter> para formatar o label que vai conter os dados. Segue então o código do nosso renderizador, basta colar dentro do arquivo.

DateRenderer.mxml

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:MXDataGridItemRenderer xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
						  xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
						  xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx"
						  focusEnabled="true">
	<fx:Declarations>
		<mx:DateFormatter id="formatadorData" formatString="DD/MM/YYYY"/>
	</fx:Declarations>

	<s:Label id="lblData"
			 width="100%" height="100%" verticalAlign="middle" paddingLeft="10"
			 text="{formatadorData.format(dataGridListData.label)}"/>

</s:MXDataGridItemRenderer>

Salve o projeto e teste novamente. Você vai ver que agora a data de nascimento dos clientes vai ser formatada corretamente. Com isso terminamos as explicações referentes à integração do Flex com o Java, além de termos feito um exemplo com muitos recursos. Sugiro agora que como exercício você tente implementar os métodos que estão faltando. Caso tenha dúvidas, verifique o código completo (e final) abaixo.

CRUD.mxml (final)

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<s:Application xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009"
			   xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark"
			   xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/mx" minWidth="955" minHeight="600"
			   creationComplete="creationCompleteHandler(event)">

	<fx:Script>
		<![CDATA[
			import entidades.Cidade;
			import entidades.Cliente;
			import entidades.Estado;

			import mx.collections.ArrayCollection;
			import mx.controls.Alert;
			import mx.events.FlexEvent;
			import mx.events.ItemClickEvent;
			import mx.events.ListEvent;
			import mx.rpc.events.FaultEvent;
			import mx.rpc.events.ResultEvent;

			// armazenam a referência para as instâncias selecionadas no momento.
			private var estadoSelec: Estado;
			private var cidadeSelec: Cidade;
			private var clienteSelec: Cliente;

			private function faultHandler( event: FaultEvent ): void {
				Alert.show( event.fault.toString(), "ERRO" );
			}

			// handlers para estado
			private function estadoSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {

				// se entrou no método, quer dizer que o estado foi salvo, sendo assim,
				// atualiza a tabela chamando o listAll e reinicia o formulário.
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();

			}

			private function estadoUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {

				// se entrou no método, quer dizer que o estado foi alterado, sendo assim,
				// atualiza a tabela chamando o listAll e reinicia o formulário.
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();

			}

			private function estadoDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {

				// se entrou no método, quer dizer que o estado foi excluído, sendo assim,
				// atualiza a tabela chamando o listAll e reinicia o formulário.
				servEstado.listAll();
				resetFormEstados();

			}

			private function estadoListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {

				// configura o dataProvider da tabela com os dados que vem no result.
				// nesse caso, é uma lista de Estados.
				tabelaEstados.dataProvider = event.result;

				// o dataProvider de um combo espera por algo que implemente a interface IList
				// o result do serviço retorna uma lista, então podemos fazer o cast para ArrayCollection
				comboEstadoCidade.dataProvider = event.result as ArrayCollection;

			}

			private function btnNovoEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				// reseta o formulário
				resetFormEstados();

			}

			private function btnSalvarEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				// estadoSelec é diferente de null ou de undefined?
				if ( estadoSelec ) {

					// então existe um estado selecionado

					// altera os valores
					estadoSelec.nome = fieldNomeEstado.text;
					estadoSelec.sigla = fieldSiglaEstado.text;

					// manda atualizar
					servEstado.update(estadoSelec);

				} else {

					// não tem estado selecionado, cria um novo
					var o: Estado = new Estado();

					// insere os valores
					o.nome = fieldNomeEstado.text;
					o.sigla = fieldSiglaEstado.text;

					// manda salvar
					servEstado.save(o);

				}
			}

			private function btnExcluirEstadoClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				// estadoSelec é diferente de null ou de undefined?
				if ( estadoSelec ) {

					// sim, então exclui o estado.
					// seria legal uma confirmação aqui não acha? fica de exercício hehehe

					// obs: note que não chamamos servEstado.delete diretamente, pois delete
					// é uma pavra-chave no ActionScript. Sendo assim, usamos a seguinte
					// instrução para invoca o método sem ter problemas:
					servEstado.getOperation( "delete" ).send( estadoSelec );

				}

			}

			private function tabelaEstadosClickHandler( event: ListEvent ): void {

				// estadoSelec recebe o item selecionado na lista
				estadoSelec = tabelaEstados.selectedItem as Estado;

				// preenche os campos
				fieldNomeEstado.text = estadoSelec.nome;
				fieldSiglaEstado.text = estadoSelec.sigla;

			}

			// função para limpar o campo e resetar a referência para o estado selecionado
			// esse método é novo, não foi apresentado no código anterior.
			private function resetFormEstados(): void {

				// limpa os campos
				fieldNomeEstado.text = "";
				fieldSiglaEstado.text = "";

				// não tem mais estados selecionados
				estadoSelec = null;

			}

			// handlers para cidade
			private function cidadeSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				resetFormCidades();
			}

			private function cidadeUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				resetFormCidades();
			}

			private function cidadeDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCidade.listAll();
				resetFormCidades();
			}

			private function cidadeListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaCidades.dataProvider = event.result;
				comboCidadeCliente.dataProvider = event.result as ArrayCollection;
			}

			private function btnNovoCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				resetFormCidades();
			}

			private function btnSalvarCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( cidadeSelec ) {

					cidadeSelec.nome = fieldNomeCidade.text;
					cidadeSelec.estado = comboEstadoCidade.selectedItem as Estado;

					servCidade.update(cidadeSelec);

				} else {

					var o: Cidade = new Cidade();

					o.nome = fieldNomeCidade.text;
					o.estado = comboEstadoCidade.selectedItem as Estado;

					servCidade.save(o);

				}

			}

			private function btnExcluirCidadeClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				if ( cidadeSelec ) {
					servCidade.getOperation( "delete" ).send( cidadeSelec );
				}
			}

			private function tabelaCidadesClickHandler( event: ListEvent ): void {

				cidadeSelec = tabelaCidades.selectedItem as Cidade;

				fieldNomeCidade.text = cidadeSelec.nome;
				comboEstadoCidade.selectedItem = cidadeSelec.estado;

			}

			private function resetFormCidades(): void {

				fieldNomeCidade.text = "";
				comboEstadoCidade.selectedIndex = -1;

				cidadeSelec = null;

			}

			// handlers para cliente
			private function clienteSaveResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCliente.listAll();
				resetFormClientes();
			}

			private function clienteUpdateResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCliente.listAll();
				resetFormClientes();
			}

			private function clienteDeleteResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				servCliente.listAll();
				resetFormClientes();
			}

			private function clienteListAllResultHandler( event: ResultEvent ): void {
				tabelaClientes.dataProvider = event.result;
			}

			private function btnNovoClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				resetFormClientes();
			}

			private function btnSalvarClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				if ( clienteSelec ) {

					clienteSelec.nome = fieldNomeCliente.text;
					clienteSelec.sobrenome = fieldSobrenomeCliente.text;
					clienteSelec.cpf = fieldCPFCliente.text;
					clienteSelec.dataNascimento = fieldDataNascCliente.selectedDate;
					clienteSelec.rua = fieldRuaCliente.text;
					clienteSelec.numero = fieldNumeroCliente.text;
					clienteSelec.cep = fieldCEPCliente.text;
					clienteSelec.cidade = comboCidadeCliente.selectedItem as Cidade;

					servCliente.update(clienteSelec);

				} else {

					var o: Cliente = new Cliente();

					o.nome = fieldNomeCliente.text;
					o.sobrenome = fieldSobrenomeCliente.text;
					o.cpf = fieldCPFCliente.text;
					o.dataNascimento = fieldDataNascCliente.selectedDate;
					o.rua = fieldRuaCliente.text;
					o.numero = fieldNumeroCliente.text;
					o.cep = fieldCEPCliente.text;
					o.cidade = comboCidadeCliente.selectedItem as Cidade;

					servCliente.save(o);

				}

			}

			private function btnExcluirClienteClickHandler( event: MouseEvent ): void {
				if ( clienteSelec ) {
					servCliente.getOperation( "delete" ).send( clienteSelec );
				}
			}

			private function tabelaClientesClickHandler( event: MouseEvent ): void {

				clienteSelec = tabelaClientes.selectedItem as Cliente;

				fieldIdCliente.text = String( clienteSelec.id );
				fieldNomeCliente.text = clienteSelec.nome;
				fieldSobrenomeCliente.text = clienteSelec.sobrenome;
				fieldCPFCliente.text = clienteSelec.cpf;
				fieldDataNascCliente.selectedDate = clienteSelec.dataNascimento;
				fieldRuaCliente.text = clienteSelec.rua;
				fieldNumeroCliente.text = clienteSelec.numero;
				fieldCEPCliente.text = clienteSelec.cep;
				comboCidadeCliente.selectedItem = clienteSelec.cidade;

			}

			private function resetFormClientes(): void {

				fieldIdCliente.text = "";
				fieldNomeCliente.text = "";
				fieldSobrenomeCliente.text = "";
				fieldCPFCliente.text = "";
				fieldDataNascCliente.selectedDate = null;
				fieldRuaCliente.text = "";
				fieldNumeroCliente.text = "";
				fieldCEPCliente.text = "";
				comboCidadeCliente.selectedIndex = -1;

				clienteSelec = null;

			}

			// handlers da aplicação
			private function creationCompleteHandler( event: FlexEvent ): void {
				servEstado.listAll();
				servCidade.listAll();
				servCliente.listAll();
			}

		]]>
	</fx:Script>

	<fx:Declarations>

		<s:RemoteObject
			id="servEstado"
			destination="estadoServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="estadoListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

		<s:RemoteObject
			id="servCidade"
			destination="cidadeServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="cidadeListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

		<s:RemoteObject
			id="servCliente"
			destination="clienteServices"
			showBusyCursor="true">

			<s:method
				name="save"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteSaveResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="update"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteUpdateResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="delete"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteDeleteResultHandler(event)"/>

			<s:method
				name="listAll"
				fault="faultHandler(event)"
				result="clienteListAllResultHandler(event)"/>

		</s:RemoteObject>

	</fx:Declarations>

	<s:Panel x="10" y="10" width="567" height="565" title="Cadastro de Clientes">
		<mx:DataGrid y="6" left="10" right="10" height="196" id="tabelaClientes" click="tabelaClientesClickHandler(event)">
			<mx:columns>
				<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="Sobrenome" dataField="sobrenome"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="CPF" dataField="cpf" width="100"/>
				<mx:DataGridColumn dataField="dataNascimento" headerText="Dt. Nasc" width="80" itemRenderer="DateRenderer"/>
				<mx:DataGridColumn dataField="cidade.nome" headerText="Cidade"/>
			</mx:columns>
		</mx:DataGrid>
		<mx:Form y="210" left="10" right="10" height="281">
			<mx:FormItem label="ID:">
				<s:TextInput width="40" enabled="false" id="fieldIdCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Nome:">
				<s:TextInput id="fieldNomeCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Sobrenome:">
				<s:TextInput id="fieldSobrenomeCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="CPF:">
				<s:TextInput width="95" id="fieldCPFCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Data de Nascimento:">
				<mx:DateField id="fieldDataNascCliente" formatString="DD/MM/YYYY"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Rua:">
				<s:TextInput id="fieldRuaCliente" width="249"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Número:">
				<s:TextInput width="59" id="fieldNumeroCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="CEP:">
				<s:TextInput width="94" id="fieldCEPCliente"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Cidade:">
				<s:ComboBox width="200" id="comboCidadeCliente"/>
			</mx:FormItem>
		</mx:Form>
		<s:Button x="329" y="499" label="Novo" click="btnNovoClienteClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="407" y="499" label="Salvar" click="btnSalvarClienteClickHandler(event)"/>
		<s:Button y="499" label="Excluir" right="10" click="btnExcluirClienteClickHandler(event)"/>
	</s:Panel>
	<s:Panel x="585" y="10" width="360" height="277" title="Cadastro de Cidades">
		<mx:DataGrid x="10" y="10" id="tabelaCidades" width="338" height="106" itemClick="tabelaCidadesClickHandler(event)">
			<mx:columns>
				<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="180"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="Estado" dataField="estado.nome" width="150"/>
			</mx:columns>
		</mx:DataGrid>
		<mx:Form y="120" left="10" right="10" height="83">
			<mx:FormItem label="Nome:">
				<s:TextInput id="fieldNomeCidade" width="189"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Estado:">
				<s:ComboBox id="comboEstadoCidade"/>
			</mx:FormItem>
		</mx:Form>
		<s:Button x="126" y="211" label="Novo" click="btnNovoCidadeClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="204" y="211" label="Salvar" click="btnSalvarCidadeClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="278" y="211" label="Excluir" click="btnExcluirCidadeClickHandler(event)"/>
	</s:Panel>
	<s:Panel x="585" y="295" width="360" height="280" title="Cadastro de Estados">
		<mx:DataGrid y="10" id="tabelaEstados" left="10" right="10" height="107" itemClick="tabelaEstadosClickHandler(event)">
			<mx:columns>
				<mx:DataGridColumn headerText="Nome" dataField="nome" width="150" resizable="true"/>
				<mx:DataGridColumn headerText="Sigla" dataField="sigla" width="80" resizable="true"/>
			</mx:columns>
		</mx:DataGrid>
		<mx:Form y="121" right="11" left="9" height="86">
			<mx:FormItem label="Nome:">
				<s:TextInput width="187" id="fieldNomeEstado"/>
			</mx:FormItem>
			<mx:FormItem label="Sigla:">
				<s:TextInput width="40" id="fieldSiglaEstado"/>
			</mx:FormItem>
		</mx:Form>
		<s:Button x="121" y="215" label="Novo" click="btnNovoEstadoClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="199" y="215" label="Salvar" click="btnSalvarEstadoClickHandler(event)"/>
		<s:Button x="277" y="215" label="Excluir" click="btnExcluirEstadoClickHandler(event)"/>
	</s:Panel>
</s:Application>

Finalmente, terminamos nosso tutorial. Outra sugestão que dou é que você incremente ainda mais o exemplo, inserindo validadores nos formulários por exemplo e arrumando algum erro que ainda exista na lógica da aplicação. Espero que tenham gostado. Qualquer dúvida, postem um comentário.

Obrigado a todos que leram e tiveram paciência de chegar até aqui 😉

Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4.1Parte 4.2


Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4.1Parte 4.2

Olá, hoje vamos continuar nosso tutorial. Inicialmente eu tinha planejado quatro partes para este tutorial, mas hoje de manhã estive pensando melhor e decidi quebrar a quarta parte em duas partes. Então teremos a parte 4.1 (esta que você está lendo) onde iremos preparar o nosso backend para fazermos um CRUD de três entidades (Estado, Cidade e Cliente). Na parte final, a 4.2, iremos tratar o lado do cliente, ou seja, a parte em Flex onde iremos montar a interface gráfica do nosso CRUD. Sendo assim, vamos começar!

Para o nosso CRUD nós não iremos usar nenhum framework, pois como eu já disse, o foco do tutorial não é esse. Se você quiser posteriormente inserir o Hibernate por exemplo, tenho certeza que não vai ter dificuldades, porque o lado do Flex não vai precisar ser modificado e o lado implementado em Java também poderá ser modificado facilmente. Para o nosso “minisistema”, vamos considerar o seguinte “documento de requisitos”:

“Desenvolver uma aplicação Web utilizando Flex e Java que permita o cadastro e a manutenção de Estados (unidades da federação), Cidades e Clientes. Um Estado é composto por um identificador (utilizado internamente no sistema), um nome e uma sigla que deve ser única. O nome de um estado não deve ter mais que 50 caracteres, enquanto a sigla deve ter obrigatoriamente 2 caracteres. Uma Cidade é composta também por um identificador, um nome (máximo 50 caracteres) e um estado. Por fim, cada Cliente é composto por um identificador, um nome (máximo 50 caracteres), um sobrenome (máximo 50 caracteres), uma data de nascimento, um CPF que deve ser único (14 caracteres) e o endereço deste Cliente deve conter uma rua (máximo 60 caracteres), um número (máximo 8 cacacteres), um CEP (9 caracteres) e uma cidade. Todos os atributos de Estado, Cidade e Cliente são obrigatórios. Para cada uma das entidades, desenvolva um formulário de cadastro onde todos os registros cadastrados devem ser apresentados em uma tabela.”

Bem, não vou escrever um documento gigantesco, especificando todas as restrições, pois este é apenas um exemplo. Então vamos começar pelo nosso banco de dados. Vou utilizar o MySQL, mas você fica livre para usar o SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) que quiser. Novamente, como o objetivo do tutorial é a integração Flex e Java, não vamos ficar entrando em detalhes relacionados à SQL. Sendo assim, segue a estrutura da base de dados do nosso sistema e o script em SQL (MySQL) para a criação da nossa base de dados, além de alguns registros já cadastrados.

 

Figura 1

Estrutura da base de dados do sistema de exemplo

 

SET FOREIGN_KEY_CHECKS=0;

CREATE DATABASE flexjava
    CHARACTER SET 'latin1'
    COLLATE 'latin1_swedish_ci';

USE flexjava;

CREATE TABLE estado (
  id int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT,
  nome varchar(50) NOT NULL,
  sigla varchar(2) NOT NULL,
  PRIMARY KEY (id),
  UNIQUE KEY sigla (sigla)
) ENGINE=InnoDB AUTO_INCREMENT=5 DEFAULT CHARSET=latin1;

CREATE TABLE cidade (
  id int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT,
  nome varchar(50) NOT NULL,
  id_estado int(11) NOT NULL,
  PRIMARY KEY (id),
  KEY id_estado (id_estado),
  CONSTRAINT cidade_fk FOREIGN KEY (id_estado) REFERENCES estado (id) ON UPDATE CASCADE
) ENGINE=InnoDB AUTO_INCREMENT=10 DEFAULT CHARSET=latin1;

CREATE TABLE cliente (
  id int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT,
  nome varchar(50) NOT NULL,
  sobrenome varchar(50) NOT NULL,
  cpf varchar(14) NOT NULL,
  dataNascimento timestamp NOT NULL DEFAULT '0000-00-00 00:00:00',
  rua varchar(60) NOT NULL,
  numero varchar(8) NOT NULL,
  cep varchar(9) NOT NULL,
  id_cidade int(11) NOT NULL,
  PRIMARY KEY (id),
  UNIQUE KEY cpf (cpf),
  KEY id_cidade (id_cidade),
  CONSTRAINT cliente_fk FOREIGN KEY (id_cidade) REFERENCES cidade (id) ON UPDATE CASCADE
) ENGINE=InnoDB AUTO_INCREMENT=4 DEFAULT CHARSET=latin1;

INSERT INTO `estado` (id, nome, sigla) VALUES
  (1,'São Paulo','SP'),
  (2,'Minas Gerais','MG'),
  (3,'Rio de Janeiro','RJ'),
  (4,'Paraná','PR');
COMMIT;

INSERT INTO `cidade` (id, nome, id_estado) VALUES
  (1,'Vargem Grande do Sul',1),
  (2,'São João da Boa Vista',1),
  (3,'São Paulo',1),
  (4,'Poços de Caldas',2),
  (5,'Belo Horizonte',2),
  (6,'Paraty',3),
  (7,'Rio de Janeiro',3),
  (8,'Curitiba',4),
  (9,'Maringá',4);
COMMIT;

INSERT INTO `cliente` (id, nome, sobrenome, cpf, dataNascimento, rua, numero, cep, id_cidade) VALUES
  (1,'David','Buzatto','123.456.789-12','1985-02-25 00:00:00','Rua Getúlio Vargas','123','13880-000',1),
  (2,'João','da Silva','456.789.123-25','1970-06-19 00:00:00','Rua dos Coqueiros','741','13880-000',1),
  (3,'Maria','do Bairro','789.123.456-45','1971-10-25 00:00:00','Rua dos Mexicanos','98','12345-456',8);
COMMIT;

Como você pode perceber pelo código SQL acima, a nossa base de dados terá o nome de “flexjava”. Sendo assim, carregue este script no seu SGBD para podermos dar continuidade.

Agora que já temos nossa base de dados, vamos ao NetBeans. Em “Source Code”, crie um novo pacote, com o nome de “entidades”. Vamos criar então três classes (Estado, Cliente e Cidade), uma para cada uma das tabelas. Essas classes serão nossas entidades. Elas devem mapear para o paradigma orientado a objetos suas contrapartes, ou seja, as tabelas do modelo relacional. Seguem então o código das três entidades, com os atributos e seus respectivos getters e os setters. Para poupar espaço, irei postar apenas os gets e os sets da entidade Estado.

entidades.Estado.java:

package entidades;

package entidades;

/**
 * Um Estado.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class Estado {

    private Long id;
    private String nome;
    private String sigla;

    public Long getId() {
        return id;
    }

    public void setId( Long id ) {
        this.id = id;
    }

    public String getNome() {
        return nome;
    }

    public void setNome( String nome ) {
        this.nome = nome;
    }

    public String getSigla() {
        return sigla;
    }

    public void setSigla( String sigla ) {
        this.sigla = sigla;
    }

}

entidades.Cidade.java:

package entidades;

/**
 * Uma Cidade.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class Cidade {

    private Long id;
    private String nome;
    private Estado estado;

    // getters e setters

}

entidades.Cliente.java:

package entidades;

import java.sql.Timestamp;

/**
 * Um Cliente.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class Cliente {

    private Long id;
    private String nome;
    private String sobrenome;
    private String cpf;
    private Timestamp dataNascimento;
    private String rua;
    private String numero;
    private String cep;
    private Cidade cidade;

    // getters e setters

}

Legal, temos nossas entidades, agora falta a nossa camada de persistência. Iremos utilizar o padrão DAO (Data Access Object), mas não vou ficar entrando em detalhes quanto a arquitetura, se o DAO está genérico o bastante, se vamos ter x camadas de abstração, etc. Se quiser informações quanto a esses assuntos arquiteturais, basta usar o Google 😉

Para começarmos, vamos criar dois novos pacotes no nosso projeto. Um com o nome de “jdbc” e outro com o nome de “dao”. Até o momento a estrutura do nosso projeto tem essa aparência:

 

Figura 2

Estrutura do projeto

 

Iremos iniciar pelo pacote jdbc, onde iremos criar uma fábrica de conexões, mas antes disso, precisamos fazer mais uma configuração no nosso projeto. Para que possamos utilizar o JDBC, precisamos colocar o driver do SGBD que estamos utilizando. No exemplo, como já dito, estou usando o MySQL. Lembra que na primeira parte deste tutorial, onde configuramos o NetBeans, nós criamos um projeto e informamos que queríamos que as nossas bibliotecas ficasses armazenadas dentro do projeto? Logo após isso, criamos a biblioteca para o BlazeDS e importamos os .jars. Por padrão, o NetBeans vem preconfigurado com diversas bibliotecas, mas como criamos um projeto com o nosso próprio escopo de bibliotecas, as bibliotecas padrão do NetBeans precisam ser importadas para que possamos utilizá-las. No nosso caso, iremos importar a biblioteca do driver do MySQL. Vamos lá então!

Procure na estrutura do projeto pela pasta de bibliotecas (Libraries). Clique com o botão direito e escolha “Add Library”. O diálogo “Add Library” vai aparecer.

 

Figura 3

Diálogo "Add Library"

 

Note que da primeira vez que utilizados esse diálogo, nós clicamos em “Create…”, pois nós criamos a nossa biblioteca, no caso, para o BlazeDS e suas dependências. Note que além do botão “Create…” existe o botão “Import”. É no botão “Import” que podemos importar as bibliotecas pré-definidas no NetBeans. Sendo assim, clique no botão “Import”. Assim que clicar, o diálogo “Import Library” vai aparecer. Procure pela biblioteca “MySQL JDBC Driver” e clique no botão “Import Library” logo abaixo.

 

Figura 4

Diálogo "Import Library"

 

Assim que clicar no botão, o diálogo “Add Library” vai reaparecer, só que agora vai conter a biblioteca do driver do MySQL que foi importada.

 

Figura 5

Biblioteca com o driver do MySQL importada

 

Selecione a bibiloteca e clique no botão “Add Library”. Perceba que agora, se você expandir a pasta “Libraries” do seu projeto, a biblioteca do driver do MySQL vai ter sido inserida.

 

Figura 6

Biblioteca do driver do MySQL inserida no projeto

 

Legal, com isso podemos agora usar o driver do MySQL para podermos conectar no SGBD através da nossa aplicação. Então voltemos ao código. Como eu disse, iremos criar uma fábrica de conexões, que será uma classe com um método estático que por sua vez será utilizado para criar conexões JDBC com o SGBD. Sendo assim, no pacote “jdbc” crie a classe “ConnectionFactory”. Acredito que você já tenha algum domínio sobre como utilizar o JDBC, mas mesmo assim inseri alguns comentários na implementação da classe, que pode ser vista abaixo:

jdbc.ConnectionFactory.java

package jdbc;

import java.sql.Connection;
import java.sql.DriverManager;
import java.sql.SQLException;

/**
 * Uma fábrica de conexões.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class ConnectionFactory {

    /*
     * Este bloco estático será executado assim que esta classe for carregada,
     * sendo assim, será executado apenas uma vez.
     */
    static {
        try {
            /*
             * Carrega a classe com.mysql.jdbc.Driver, que é a implementação
             * do driver JDBC para o MySQL.
             */
            Class.forName( "com.mysql.jdbc.Driver" );

            // caso a classe não seja encontrada
        } catch ( ClassNotFoundException exc ) {

            /*
             * Como log usaremos o stacktrace das excessões, mas recomendo
             * que para um projeto real você utilize algum mecanismo de log
             * melhor, como o Log4J por exemplo.
             */
            exc.printStackTrace();

        }
    }

    /**
     * O método getConnection retorna uma conexão com o banco de dados baseado
     * nos parâmetros fornecidos.
     *
     * @param url O endereço da base de dados.
     * @param usuario O usuário que tem permissão na base de dados especificada.
     * @param senha A senha do usuário especificado
     * @return Uma conexão com o banco de dados especificado na url.
     * @throws SQLException Caso ocorra algum problema durante a conexão.
     */
    public static Connection getConnection(
            String url,
            String usuario,
            String senha ) throws SQLException {

        // retorna a conexão a partir do método getConnection de DriverManager
        return DriverManager.getConnection( url, usuario, senha );

    }

}

Os comentários no código da classe “ConnectionFactory” são suficientes para entendê-la. Vamos então aos nossos DAOs!

Para quem não conhece, resumidamente, o padrão de projeto DAO especifica um camada para trabalhar com a persistência dos dados de objetos na forma de registros em tabelas e a obtenção desses registros e a “conversão” deles novamente em objetos. Existem diversos frameworks que abstraem esse trabalho para o desenvolvedor, bastando criar as entidades e configurar o framework em questão para que ele consiga fazer essa conversão automática. Esses frameworks são chamados de frameworks ORM (Object-Relational Mapping), ou seja, servem como ponte entre o mundo dos objetos (uma linguagem OO) e o mundo relacional (um SBGD relacional). Um exemplo desse tipo de framework é o Hibernate, que provavelmente você há ouviu falar. Novamente vou bater na mesma tecla 😀 Neste tutorial só vamos trabalhar com a intergração Flex e Java, então vamos fazer quase tudo na mão. Cansou? Vamos ao código? Let’s go 😀

Nosso primeiro passo vai ser criar a classe “Dao” no pacote “dao”. Essa classe vai ser o nosso DAO genérico, que vai ser usado como modelo para os DAOs mais específicos (um para cada entidade). No nosso Dao, nós especificamos então quatro métodos, um para cada ação que podemos fazer nas nossas tabelas, ou seja, o famoso CRUD: Create (salvar; criar), Read (ler), Update (atualizar) e Delete (excluir; remover; deletar). Segue então o código do nosso DAO genérico.

dao.Dao.java

package dao;

import java.sql.Connection;
import java.sql.SQLException;
import java.util.List;
import jdbc.ConnectionFactory;

/**
 * DAO genérico.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public abstract class Dao<T extends Object> {

    // cada Dao terá uma conexão.
    private Connection conexao;

    /**
     * Construtor do Dao.
     * É nesse construtor que a conexão é criada.
     *
     * @throws SQLException
     */
    public Dao() throws SQLException {

        /*
         * Usa-se o método getConnection da fábrica de conexões,
         * passando o endereço da base (string/url de conexão), o nome do
         * usuário (no caso, "root") e a senha ("root" também).
         */
        conexao = ConnectionFactory.getConnection(
                "jdbc:mysql://localhost/flexjava",
                "root",
                "root" );

    }

    /**
     * Método para obter a conexão criada.
     *
     * @return Retorna a conexão.
     */
    public Connection getConnection() {
        return conexao;
    }

    /**
     * Método para fechar a conexão aberta.
     *
     * @throws SQLException Caso ocorra algum erro durante o fechamento da
     * conexão.
     */
    public void closeConnection() throws SQLException {
        conexao.close();
    }

    /**
     * Método abstrato para salvar uma instância de uma entidade da base de
     * dados.
     * É o "C" do CRUD.
     *
     * @param obj Instância do objeto da entidade a ser salvo.
     * @throws SQLException Caso ocorra algum erro durante a gravação.
     */
    public abstract void save( T obj ) throws SQLException;

    /**
     * Método abstrato para atualizar uma instância de uma entidade da base de
     * dados.
     * É o "U" do CRUD.
     *
     * @param obj Instância do objeto da entidade a ser atualizado.
     * @throws SQLException Caso ocorra algum erro durante a atualização.
     */
    public abstract void update( T obj ) throws SQLException;

    /**
     * Método abstrato para excluir uma instância de uma entidade da base de
     * dados.
     * É o "D" do CRUD.
     *
     * @param obj Instância do objeto da entidade a ser salvo.
     * @throws SQLException Caso ocorra algum erro durante a exclusão.
     */
    public abstract void delete( T obj ) throws SQLException;

    /**
     * Método abstrato para obter todas as instâncias de uma entidade da base
     * de dados.
     * É o "R" do CRUD.
     *
     * @return Lista de todas as instâncias da entidade.
     * @throws SQLException Caso ocorra algum erro durante a consulta.
     */
    public abstract List<T> listAll() throws SQLException;

}

Perceba que o sintax highlighting do componente de código fonte do WordPress não funciona muito bem, mas assim que você copiar para o NetBeans, vc vai ver que está correto. Note também que comentei todos os métodos e indiquei qual operação do CRUD eles representam. Perceba que para a operação “R” (read) podemos ter vários métodos, mas o padrão será o que lista tudo. Outro detalhe é que nosso Dao, quando for ser implementado (é uma classe abstrata!) deve ser especificado em cima de qual classe (entidade) ele vai atuar. O “T extends Object” siginifica que todo lugar onde existe “T” vai ser trocado pela a entidade que vai ser utilizada. Bem, pode estar um pouco confuso caso você nunca tenha usado os genéricos do Java, então vamos para o nosso primeiro DAO concreto, que será o EstadoDao.

Quando vamos estender uma classe abstrata, precisamos implementar todos os seus métodos (caso a classe que esteja estendendo for uma classe concreta). Primeiramente, no pacote “dao” crie a classe “EstadoDao”. Especifique que EstadoDao estende (extends) Dao<Estado>. Isso mesmo, Dao<Estado> ou seja, estende a classe Dao e o tipo genérico é Estado. Veja o código:

dao.EstadoDao.java

package dao;

import entidades.Estado;

/**
 * DAO para a entidade Estado.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class EstadoDao extends Dao<Estado> {

}

Perceba que o NetBeans vai reclamar, grifanto EstadoDao em vermelho, pois EstadoDao é uma classe concreta que está estendendo uma classe abstrata. Note também que uma lâmpada aparecerá na linha do erro. Clique nela, a opção “Implement All Abstract Methods” vai aparecer.

 

Figura 7

Erro ao estender o Dao que é uma classe abstrata

 

Clique na opção que apareceu. O NetBeans vai fornecer a implementação de todos os métodos, lançando uma excessão no corpo de cada um.  Posterirmente (já já) iremos substituir o “throw new UnsupportedOperationException( “…” )” pela a implementação específica do método. Perceba ainda que o NetBeans continua reclamando que tem um problema, só que a gora toda a linha da declaração da classe está vermelha. Se você passar o mouse em cima da linha para ler o erro, vai ver a seguinte mensagem:

“unreported exception java.sql.SQLException in default constructor”

Isso acontece porque o construtor padrão do nosso Dao cria uma conexão com o banco e pode lançar uma SQLException (que é uma excessão checada). Sendo assim, precisamos implementar o construtor padrão do nosso EstadoDao para informar que ele lança uma SQLException também, pois o construtor padrão de EstadoDao vai chamar implicitamente o construtor padrão de Dao, que por sua vez lança uma SQLException. Por enquanto, nosso EstadoDao está assim:

package dao;

import entidades.Estado;
import java.sql.SQLException;
import java.util.List;

/**
 * DAO para a entidade Estado.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class EstadoDao extends Dao<Estado> {

    public EstadoDao() throws SQLException {
    }

    // métodos CRUD aqui...

}

Vamos a implementação dos métodos CRUD. Basicamente iremos criar uma query, pegar os dados do objeto passado, popular essa query e executá-la. Para poupar tempo e explicações já vou postar o código dos três Daos que iremos ter. Acredito que com o código seja possível você entender o que está acontecendo. Qualquer dúvida, mande um comentário 😉

dao.EstadoDao.java

package dao;

import entidades.Estado;
import java.sql.PreparedStatement;
import java.sql.ResultSet;
import java.sql.SQLException;
import java.util.ArrayList;
import java.util.List;

/**
 * DAO para a entidade Estado.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class EstadoDao extends Dao<Estado> {

    public EstadoDao() throws SQLException {
    }

    @Override
    public void save( Estado obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "INSERT INTO "
                + "estado( nome, sigla ) "
                + "VALUES( ?, ? );" );

        stmt.setString( 1, obj.getNome() );
        stmt.setString( 2, obj.getSigla() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public void update( Estado obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "UPDATE estado "
                + "SET"
                + "    nome = ?,"
                + "    sigla = ? "
                + "WHERE"
                + "    id = ?;" );

        stmt.setString( 1, obj.getNome() );
        stmt.setString( 2, obj.getSigla() );
        stmt.setLong( 3, obj.getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public void delete( Estado obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "DELETE FROM estado "
                + "WHERE"
                + "    id = ?;" );

        stmt.setLong( 1, obj.getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public List<Estado> listAll() throws SQLException {

        List<Estado> lista = new ArrayList<Estado>();

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "SELECT * FROM estado;" );

        ResultSet rs = stmt.executeQuery();

        while ( rs.next() ) {

            Estado e = new Estado();

            e.setId( rs.getLong( "id" ) );
            e.setNome( rs.getString( "nome" ) );
            e.setSigla( rs.getString( "sigla" ) );

            lista.add( e );

        }

        rs.close();
        stmt.close();

        return lista;

    }

}

dao.CidadeDao.java

package dao;

import entidades.Cidade;
import entidades.Estado;
import java.sql.PreparedStatement;
import java.sql.ResultSet;
import java.sql.SQLException;
import java.util.ArrayList;
import java.util.List;

/**
 * DAO para a entidade Cidade.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class CidadeDao extends Dao<Cidade> {

    public CidadeDao() throws SQLException {
    }

    @Override
    public void save( Cidade obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "INSERT INTO "
                + "cidade( nome, id_estado ) "
                + "VALUES( ?, ? );" );

        stmt.setString( 1, obj.getNome() );
        stmt.setLong( 2, obj.getEstado().getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public void update( Cidade obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "UPDATE cidade "
                + "SET"
                + "    nome = ?,"
                + "    id_estado = ? "
                + "WHERE"
                + "    id = ?;" );

        stmt.setString( 1, obj.getNome() );
        stmt.setLong( 2, obj.getEstado().getId() );
        stmt.setLong( 3, obj.getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public void delete( Cidade obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "DELETE FROM cidade "
                + "WHERE"
                + "    id = ?;" );

        stmt.setLong( 1, obj.getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public List<Cidade> listAll() throws SQLException {

        List<Cidade> lista = new ArrayList<Cidade>();

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "SELECT "
                + "    c.id idCidade, "
                + "    c.nome nomeCidade, "
                + "    e.id idEstado, "
                + "    e.nome nomeEstado, "
                + "    e.sigla siglaEstado "
                + "FROM "
                + "    cidade c, "
                + "    estado e "
                + "WHERE"
                + "    c.id_estado = e.id;" );

        ResultSet rs = stmt.executeQuery();

        while ( rs.next() ) {

            Cidade c = new Cidade();
            Estado e = new Estado();

            c.setId( rs.getLong( "idCidade" ) );
            c.setNome( rs.getString( "nomeCidade" ) );
            c.setEstado( e );

            e.setId( rs.getLong( "idEstado" ) );
            e.setNome( rs.getString( "nomeEstado" ) );
            e.setSigla( rs.getString( "siglaEstado" ) );

            lista.add( c );

        }

        rs.close();
        stmt.close();

        return lista;

    }

}

dao.ClienteDao.java

package dao;

import entidades.Cidade;
import entidades.Cliente;
import entidades.Estado;
import java.sql.PreparedStatement;
import java.sql.ResultSet;
import java.sql.SQLException;
import java.util.ArrayList;
import java.util.List;

/**
 * DAO para a entidade Cliente.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class ClienteDao extends Dao<Cliente> {

    public ClienteDao() throws SQLException {
    }

    @Override
    public void save( Cliente obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "INSERT INTO "
                + "cliente( "
                + "    nome, "
                + "    sobrenome, "
                + "    cpf, "
                + "    dataNascimento, "
                + "    rua, "
                + "    numero, "
                + "    cep, "
                + "    id_cidade ) "
                + "VALUES( ?, ?, ?, ?, ?, ?, ?, ? );" );

        stmt.setString( 1, obj.getNome() );
        stmt.setString( 2, obj.getSobrenome() );
        stmt.setString( 3, obj.getCpf() );
        stmt.setTimestamp( 4, obj.getDataNascimento() );
        stmt.setString( 5, obj.getRua() );
        stmt.setString( 6, obj.getNumero() );
        stmt.setString( 7, obj.getCep() );
        stmt.setLong( 8, obj.getCidade().getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public void update( Cliente obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "UPDATE cliente "
                + "SET"
                + "    nome = ?, "
                + "    sobrenome = ?,"
                + "    cpf = ?, "
                + "    dataNascimento = ?, "
                + "    rua = ?, "
                + "    numero = ?, "
                + "    cep = ?, "
                + "    id_cidade = ? "
                + "WHERE"
                + "    id = ?;" );

        stmt.setString( 1, obj.getNome() );
        stmt.setString( 2, obj.getSobrenome() );
        stmt.setString( 3, obj.getCpf() );
        stmt.setTimestamp( 4, obj.getDataNascimento() );
        stmt.setString( 5, obj.getRua() );
        stmt.setString( 6, obj.getNumero() );
        stmt.setString( 7, obj.getCep() );
        stmt.setLong( 8, obj.getCidade().getId() );
        stmt.setLong( 9, obj.getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public void delete( Cliente obj ) throws SQLException {

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "DELETE FROM cliente "
                + "WHERE"
                + "    id = ?;" );

        stmt.setLong( 1, obj.getId() );

        stmt.executeUpdate();
        stmt.close();

    }

    @Override
    public List<Cliente> listAll() throws SQLException {

        List<Cliente> lista = new ArrayList<Cliente>();

        PreparedStatement stmt = getConnection().prepareStatement(
                "SELECT "
                + "    c.id idCliente, "
                + "    c.nome nomeCliente, "
                + "    c.sobreNome sobrenomeCliente, "
                + "    c.cpf cpfCliente, "
                + "    c.dataNascimento dataNascimentoCliente, "
                + "    c.rua ruaCliente, "
                + "    c.numero numeroCliente, "
                + "    c.cep cepCliente, "
                + "    ci.id idCidade, "
                + "    ci.nome nomeCidade, "
                + "    e.id idEstado, "
                + "    e.nome nomeEstado, "
                + "    e.sigla siglaEstado "
                + "FROM "
                + "    cliente c, "
                + "    cidade ci, "
                + "    estado e "
                + "WHERE"
                + "    c.id_cidade = ci.id AND "
                + "    ci.id_estado = e.id;");

        ResultSet rs = stmt.executeQuery();

        while ( rs.next() ) {

            Cliente c = new Cliente();
            Cidade ci = new Cidade();
            Estado e = new Estado();

            c.setId( rs.getLong( "idCliente" ) );
            c.setNome( rs.getString( "nomeCliente" ) );
            c.setSobrenome( rs.getString( "sobrenomeCliente" ) );
            c.setCpf( rs.getString( "cpfCliente" ) );
            c.setDataNascimento( rs.getTimestamp( "dataNascimentoCliente" ) );
            c.setRua( rs.getString( "ruaCliente" ) );
            c.setNumero( rs.getString( "numeroCliente" ) );
            c.setCep( rs.getString( "cepCliente" ) );
            c.setCidade( ci );

            ci.setId( rs.getLong( "idCidade" ) );
            ci.setNome( rs.getString( "nomeCidade" ) );
            ci.setEstado( e );

            e.setId( rs.getLong( "idEstado" ) );
            e.setNome( rs.getString( "nomeEstado" ) );
            e.setSigla( rs.getString( "siglaEstado" ) );

            lista.add( c );

        }

        rs.close();
        stmt.close();

        return lista;

    }

}

Ufa! Quanto código hein? Quando fazemos tudo na mão temos muito trabalho, por isso um framework como o Hibernate pode nos ajudar muito! Enfim, com os DAOs prontos, precisamos agora criar os serviços e então terminaremos essa parte do tutorial! Vamos lá então.

Vamos usar uma abordagem parecida com a que usamos no nosso Dao genérico. Vamos criar um serviço genérico para trabalhar com entidades (EntityServices) e nele teremos novamente os quatro métodos CRUD. Dentro da implementação de cada um, criaremos o Dao correspondente e executaremos a operação correspondente ao serviço. Como há disse, a idéia é parecida com a do Dao, então, vou postar diretamente os códigos das quatro classes (EntityServices, EstadoServices, CidadeServices e ClienteServices).

servicos.EntityServices.java

package servicos;

import java.util.List;

/**
 * Classe abstrata que define a assinatura dos serviços para as entidades.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public abstract class EntityServices<T extends Object> {

    /**
     * Método abstrato para salvar um objeto remoto.
     * Utiliza o método save do DAO correspondente.
     *
     * @param obj Objeto remoto a ser salvo.
     * @throws Exception Caso ocorra algum erro.
     */
    public abstract void save( T obj ) throws Exception;

    /**
     * Método abstrato para atualiar um objeto remoto.
     * Utiliza o método update do DAO correspondente.
     *
     * @param obj Objeto remoto a ser atualizado.
     * @throws Exception Caso ocorra algum erro.
     */
    public abstract void update( T obj ) throws Exception;

    /**
     * Método abstrato para excluir um objeto remoto.
     * Utiliza o método delete do DAO correspondente.
     *
     * @param obj Objeto remoto a ser excluído.
     * @throws Exception Caso ocorra algum erro.
     */
    public abstract void delete( T obj ) throws Exception;

    /**
     * Método abstrato para obter todas as intâncias de uma determinada
     * entidade e serializá-las em uma lista.
     * Utiliza o método listAll do DAO correspondente.
     *
     * @return Uma lista de objetos.
     * @throws Exception Caso ocorra algum erro.
     */
    public abstract List<T> listAll() throws Exception;

}

servicos.EstadoServices.java

package servicos;

import dao.Dao;
import dao.EstadoDao;
import entidades.Estado;
import java.util.List;

/**
 * Serviços para a entidade Estado.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class EstadoServices extends EntityServices<Estado> {

    @Override
    public void save( Estado obj ) throws Exception {
        Dao<Estado> dao = new EstadoDao();
        dao.save( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public void update( Estado obj ) throws Exception {
        Dao<Estado> dao = new EstadoDao();
        dao.update( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public void delete( Estado obj ) throws Exception {
        Dao<Estado> dao = new EstadoDao();
        dao.delete( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public List<Estado> listAll() throws Exception {
        Dao<Estado> dao = new EstadoDao();
        List<Estado> lista = dao.listAll();
        dao.closeConnection();
        return lista;
    }

}

servicos.CidadeServices.java

package servicos;

import dao.Dao;
import dao.CidadeDao;
import entidades.Cidade;
import java.util.List;

/**
 * Serviços para a entidade Cidade.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class CidadeServices extends EntityServices<Cidade> {

    @Override
    public void save( Cidade obj ) throws Exception {
        Dao<Cidade> dao = new CidadeDao();
        dao.save( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public void update( Cidade obj ) throws Exception {
        Dao<Cidade> dao = new CidadeDao();
        dao.update( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public void delete( Cidade obj ) throws Exception {
        Dao<Cidade> dao = new CidadeDao();
        dao.delete( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public List<Cidade> listAll() throws Exception {
        Dao<Cidade> dao = new CidadeDao();
        List<Cidade> lista = dao.listAll();
        dao.closeConnection();
        return lista;
    }

}

servicos.ClienteServices.java

package servicos;

import dao.Dao;
import dao.ClienteDao;
import entidades.Cliente;
import java.util.List;

/**
 * Serviços para a entidade Cliente.
 *
 * @author David Buzatto
 */
public class ClienteServices extends EntityServices<Cliente> {

    @Override
    public void save( Cliente obj ) throws Exception {
        Dao<Cliente> dao = new ClienteDao();
        dao.save( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public void update( Cliente obj ) throws Exception {
        Dao<Cliente> dao = new ClienteDao();
        dao.update( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public void delete( Cliente obj ) throws Exception {
        Dao<Cliente> dao = new ClienteDao();
        dao.delete( obj );
        dao.closeConnection();
    }

    @Override
    public List<Cliente> listAll() throws Exception {
        Dao<Cliente> dao = new ClienteDao();
        List<Cliente> lista = dao.listAll();
        dao.closeConnection();
        return lista;
    }

}

Poderíamos generalizar ainda mais nossa arquitetura, mas vamos ficar por aqui. Perceba que caso você deseje mudar o mecanismo de persistência, basta configurar o framework que vai utilizar e então mudar a implementação dos serviços. Agora, para terminar essa parte, vamos então configurar o nosso remoting-config.xml para apontar para as classes de serviços que acabamos de criar. Segue então o remoting-config.xml completo.

remoting-config.xml

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<service id="remoting-service"
    class="flex.messaging.services.RemotingService">

    <adapters>
        <adapter-definition id="java-object" class="flex.messaging.services.remoting.adapters.JavaAdapter" default="true"/>
    </adapters>

    <default-channels>
        <channel ref="my-amf"/>
    </default-channels>

    <destination id="testeServicos">
        <properties>
            <source>servicos.ServicosTeste</source>
        </properties>
    </destination>

    <destination id="servicosCalculadora">
        <properties>
            <source>servicos.ServicosCalculadora</source>
        </properties>
    </destination>

    <destination id="estadoServices">
        <properties>
            <source>servicos.EstadoServices</source>
        </properties>
    </destination>

    <destination id="cidadeServices">
        <properties>
            <source>servicos.CidadeServices</source>
        </properties>
    </destination>

    <destination id="clienteServices">
        <properties>
            <source>servicos.ClienteServices</source>
        </properties>
    </destination>

</service>

Finalmente terminamos essa parte do tutorial. Ela nos deu bastante trabalho, principalmente por causa dos DAOs. Na próxima (e agora sim, a última!) parte do tutorial iremos integrar nossa interface criada no Flash Builder para fazermos tudo isso funcionar.

Então é isso, até amanhã!

Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4.1Parte 4.2

%d blogueiros gostam disto: